pista de neve com montanhas nevadas ao fundo

San Martín de Los Andes no Inverno: Roteiro de 4 Dias!

Conhecer San Martín de Los Andes no Inverno é uma ótima dobradinha na Argentina tanto de Bariloche e região quanto com Buenos Aires, e o destino conta com muitas atrações muito boas para quem gosta e ou deseja curtir a neve, mas também boa gastronomia, diversão e compras.

Como chegar e Dicas Gerais

Nós fomos em 2023 de 19 de agosto a 22 de agosto. Fazer a viagem à San Martín de Los Andes super funciona fazer combinando com Buenos Aires, visto que San Martín tem um aeroporto que recebe voos da capital argentina.

Você também pode chegar via Bariloche com cerca 3h de trajeto de carro até San Martín, e mesmo quem não gosta tanto de ir pela estrada, saiba que não é ruim, pois pode se programar para fazer a famosa Rota dos Sete Lagos nesse trajeto de uma cidade para a outra. Inclusive tenho um Guia Completíssimo sobre Bariloche e com meu suporte para sua viagem que você pode acessar aqui.

selfie de mãe e pai com filha pequena no meio e montanha ao fundo
Mais uma aventura em família: Já adianto que curtimos muito nosso roteiro em San Martín de Los Andes no Inverno.

IMPORTANTE: Se optar por viajar de carro até San Martín de Los Andes, saiba que no inverno sempre tem risco de nevasca na estrada. Antes de qualquer coisa, dirija com bastante cautela e obedeça a sinalização e as orientações dos policiais rodoviários. Além disso, é essencial estar preparado e ter em seu carro as correntes de neve para os pneus, e não apenas as tenha, mas certifique-se de saber como colocá-las, você realmente pode precisar.

Aliás, foi o nosso caso, porém, como moro há alguns anos na Argentina e trabalho com roteiros personalizados aqui, já sabíamos bem o que fazer. Se nunca uso as correntes tem pouca experiência, não hesite em contratar alguém para fazer este trajeto,

Roteiro de 4 dias em San Martín de Los Andes no Inverno com Dica de Hospedagem e Restaurantes

Nossa viagem para San Martín de Los Andes no inverno teve um grande foco no esqui, e recomendo bastante para quem quiser se aprimorar na prática do esporte – e quem sabe até ter um movimento um pouco menor do que os lugares principais de Bariloche. Por isso, ficamos em um hotel esqui in out na parte central do roteiro, e só fizemos passeios pela cidade no dia de chegada e de retorno.

rua com árvore do inverno e montanha levemente nevada
Um pedacinho do Centro da Cidade.

Porém, também existem mais alguns locais bacanas para explorar. A cidade também tem muitas outras atividades e as pessoas podem se hospedar na cidade e fazer apenas um dia de atividade de neve, ou outras variações.

Sendo assim vou primeiro compartilhar o roteiro que fizemos, e depois mais lugares que você pode querer adaptar para aproveitar a viagem.

Dia 01: Como moramos na Argentina, fizemos um deslocamento de carro desde Neuquén (nossa cidade) até San Martín do Los Andes com todo o cuidado, já que pegamos uma dose de nevasca, mas chegamos bem em San Martín.

fachada de prédio de restaurante
Fachada do La Cabriada.

Seguimos para o almoço e fomos direto para o La Cabriada, um restaurante de carnes argentinas muito bom, localizado no centro da cidade.

Em seguida, não demoramos e já fomos para o nosso hotel que fica no Cerro Chapelco – montanha com cerca de 2.200m da região que conta com as estações de esqui que foi nosso objetivo.

Ficamos hospedados no Hotel El Refugio, que fica dentro de um bairro privado chamado Las Pendientes a 23km do centro e fica lindo com a paisagem nevada. Este bairro conta com o hotel e casas para aluguel na temporada justamente para turismo e prática do esqui, já que tem um centro exclusivo para a prática dos esportes de neve.

centro de elevação na neve
Um dos Meios de Elevação.

O Centro de Esqui de Las Pendientes conta com duas pistas principais e outras pistas menores e possui dois meios de elevação – tipo teleféricos que levam os praticantes para as áreas altas e você não precisa tirar os esquis dos pés. Você pode comprar os passes e contratar aula sem fila, e ter um dia tranquilo no centro de esqui.

Dica: Se quiser um pouco mais de aventura, existe mais um centro de esqui para aproveitar, o Chapelco Ski Resort, que fica a poucos minutos do Las Pendientes.

Estrada com árvores e muita neve
No caminho para Las Pendientes e região.

Ele oferece uma ampla variedade de pistas de esqui para todos os níveis, desde iniciantes até esquiadores mais experientes. Existem mais de 30 pistas, que se estendem por cerca de 140 hectares de terreno esquiável. Além disso, a estação de esqui conta com um moderno sistema de elevação, garantindo um acesso conveniente e rápido às diferentes áreas da montanha.

A paisagem ao redor do Cerro Chapelco é deslumbrante, com vistas panorâmicas das montanhas cobertas de neve, bosques de árvores nativas e lagos cristalinos.

Ali também é possível fazer passeios de snowshoeing (caminhada com raquetes de neve), snowmobile (moto neve) e tubing (descida em boias pela neve). Há também uma variedade de restaurantes, cafés e lojas na base da montanha, onde você pode relaxar e desfrutar de uma refeição deliciosa.

Dica: para as pessoas que não vão esquiar é necessário comprar o passe Telecabina que é o meio de elevação que te leva da base até a altura de 1.600m de altitude, onde se encontram as atividades para não esquiadores e opções de restaurantes também. É valido para uma subida e uma descida e não pode levar equipamento de esqui.

O Resort disponibiliza transfer (pago à parte) do centro de esqui para o de Las Pendientes também. Dependendo da quantidade de neve e da sua experiência com o esqui você até pode chegar ao Chapelco Ski de fato esquiando, pois tem uma pista que liga os dois centros de esqui – mas claro que você deve ter o passe de esqui dos dois centros para fazer isso.

Voltando ao nosso roteiro em San Martín de Los Andes no inverno, após realizarmos noss check-in em Las Pendientes, fomos alugar nossos esquis para o dia seguinte.

cabana coberta de neve
Nossa cabana na viagem!

Bem próximo à recepção do hotel há uma loja de aluguel de roupas, acessórios e equipamentos – lembrando que geralmente alugamos a terceira camada e o restante levamos o que precisamos em nossa mala de inverno inteligente!

À noite, jantamos no restaurante do próprio hotel. Lá você vai encontrar duas opções de restaurantes e uma mercearia onde pode comprar alguns itens.

Na suíte que nos hospedamos no El Refugio tinha uma cozinha equipada com geladeira, micro-ondas e forno que dava para fazer comida tranquilamente também. Em nossa diária já estava incluso o café da manhã e os passes diários para o centro de esqui.

crianças juntas para aula de esqui
Criançada reuniada para começar as aulas e a diversão.

Dia 02: Foi só tomar o café da manhã e curtir um dia inteiro de esqui em Las Pendientes. Contratamos aulas particulares para nós e para a Alice colocamos na escolinha de esqui com outras crianças e foi ótimo! Ela se divertiu o dia todo, pois além das aulas de esqui eles fazem brincadeiras e já está incluso lanche e almoço, além de os professores serem super atenciosos.

No fim, de tarde brincamos com a Alice de esqui bunda, boneco de neve e bolinha de neve. Como o hotel está no alto do cerro e do lado da pista, temos neve desde a porta do quarto, mesmo que você não esquie pode aproveitar com as crianças.

Almoçamos no restaurante do centro de esqui e à noite jantamos no restaurante do hotel. Aproveitamos que o quarto tem lareira e acendemos para tomar um bom vinho que havíamos levado.

menina e homem com esquis no meio da neve
Alice na Aula de Esqui já arrasando muito!

Dia 03: Repetimos o dia 02 para de fato praticar melhor e que se arriscar em novas áreas e pistas. Alice já estava mais tranquila nos esquis e inclusive desceu a pista principal – as crianças pegam tudo muito rápido!

Dia 04: Já era o dia de voltar para casa, e programamos de sair logo pela manhã para dar uma volta em San Martín de Los Andes e almoçar na cidade antes de voltar para casa.

Quando fomos pegar o nosso carro ele estava todo coberto de neve, e mesmo com ajuda da equipe do hotel, tivemos que tirar toda a neve, o que demorou um tempo e atrasou um pouquinho os planos – pode acontecer com você também se alugar carro!

Lago com barcos e montanha ao fundo
O Lago Lácar que também oferece passeios de barco!

Chegamos e fomos direto para a beira do Lago Lacar e caminhamos pelo centro. Fomos na Mamuschka, uma deliciosa marca que adoramos comprar chocolates e o melhor alfajor da cidade, que é feito com farinha de amêndoa.

Em seguida almoçamos no restaurante Las Barricas, com típica comida da Patagonia.

fachada de restaurante com barris
Visual do Las Barricas.

O Las Barricas, oferece opção de massas, carnes e pratos veganos, além de uma carta de vinhos muito boa. Aproveitamos nosso almoço, e de lá voltamos para casa.

Outros lugares e passeios para adaptar seu roteiro

Talvez você não queira 2 dias inteiros em um centro de esqui como nós fizemos em San Martín de Los Andes no inverno, e neste caso, você pode aproveitar sim de outras maneiras sua viagem. Aqui estão alguns passeios que são bacanas, e em seguida também mais algumas dicas de restaurantes:

Lugares e Atrações

C4 Parque de Nieve: Está localizado no Cerro Chapelco também, mas tem uma proposta um pouco diferente. O parque oferece uma variedade de atividades emocionantes para todas as idades e níveis de habilidade.

Uma das principais atrações do C4 Park de Nieve é o snowpark, que é uma área especialmente projetada para praticar snowboard e freestyle. O snowpark possui uma série de obstáculos, como rails, boxes e kickers, onde os entusiastas de snowboard podem aprimorar suas habilidades e realizar manobras radicais.

Além do snowpark, o parque também oferece outras opções de diversão na neve. Você pode desfrutar de atividades como tubing, que é a descida em boias infláveis em pistas especialmente preparadas. Essa é uma opção divertida e segura para todas as idades. Além disso, há também a possibilidade de realizar caminhadas com raquetes de neve, explorando as trilhas e paisagens nevadas ao redor do parque.

No local você pode alugar os equipamentos de snowboard e esqui disponíveis, caso você não possua o seu próprio equipamento. Além disso, há instrutores qualificados que podem fornecer aulas para iniciantes, ajudando-os a aprender as técnicas corretas e a se divertir com segurança.

Trineo con Huskies: Tenha a linda e emocionante experiência de percorrer os bosques de Lengas em trenos puxados por cães siberianos. Essa é uma atividade ideal para famílias.

Está localizado na plataforma 1.600 do Centro de Ski Chapelco e propõe passeios diários para adultos e crianças. Uma experiência muito divertida e com uma paisagem incrível.

letreiro de san martin de los andes com montanha e lago no fundo
O clássico letreiro da cidade.

Centro da Cidade: Para dar aquela voltinha, curtir o visual e o Lago Lácar – é possível fazer passeio de barco nele inclusive – fazer compras e tirar foto com letreiro: clássico de todas as viagens!

Ruta de Los Siete Lagos: Um percurso de 110km da ruta 40 que inicia em Villa la Angostura e finaliza em San Martín de Los Andes. Nesse percurso você vai ter vários mirantes para admirar paisagens deslumbrantes de sete lagos patagônicos.

A proposta aqui é fazer de San Martin para Villa La Angostura passando pelos Lagos Espejo, Correntoso, Escondido, Villarino, Falkner, Machónico y Lácar.

Esse passeio pode ser feito de forma privada ou em grupo, recomendo que contrate privado se possível ou mini grupo. Pois alguns passeios possuem muita gente e acaba prejudicando a experiência.

E claro que, estando em Villa La Angostura, vale muito aproveitar o centro com uma caminhada despretensiosa por essa linda vila, que está localizada a noroeste do lago Nahuel Huapi e conta com uma das paisagens de montanha mais lindas da Argentina. É uma das áreas protegidas da Patagonia, pois esta imersa no Parque Nacional Nahuel Huapi.

Restaurantes

Terrazas del Refugio: com a proposta de restaurante panorâmico em um refúgio de neve localizado em Las Pendientes, perto do Centro de Ski Chapelco. Dentro. Tem um cardápio variado e opção de comida de montanha.

Casa de Chá Arrayan: Pode ser parte de seu passeio no centro. Fundada em 1939 a pequena e charmosa casa de chá, localizada no alto do Cerro Coronel Díaz e tem uma das vista mais bonitas do lago Lácar e dos Andes.

La Vieja Aldea: É uma loja de chocolates tradicional da cidade de San Martín de Los Andes e eles oferecem chocolates artesanais de qualidade e estão transformando a loja em uma verdadeira experiência com chocolate.

Morphen Bistro: Com a proposta de oferecer uma gastronomia de influências, sentimentos e memória, o Morphen é um bistrô Patagônico Argentino que se inspira em produtos da estação para criar pratos que convidam os clientes a terem um momento tranquilo, único e memorável.

Domingo Restaurante: Mais aconchegante, o restaurante foi instalado em uma antiga casa familiar, que forma parte do patrimônio histórico da cidade. Com um cardápio variado, o restaurante possui uma proposta de cozinha italiana muito boa.

pista de esqui
Pra fechar, mais uma foto da aula da Alice na pista de esqui.

Agora é só organizar sua viagem para San Martín de Los Andes no inverno, e descobrir a magia deste lugar tão bacana. E novamente, se quiser suporte e uma viagem personalizada do seu jeitinho, conversa comigo, que vai ser incrível!

menina em banco de barco navegando no lago com vulcão com neve ao fundo

Turismo em Puerto Varas no Chile: Dicas e nossas Experiências!

Se você quer curtir o Turismo em Puerto Varas com certeza não vai se arrepender. Estivemos em família no destino com nossa Alice, e a região nos surpeendeu positivamente de muitas formas.

Conto agora como fizemos nossa viagem saindo da Argentina, já que Puerto Varas está a aproximadamente 4h30min de Bariloche e cerca de 3h30 de Villa la Angostura.

menina de costas de braços abertos em passeio em lago com montanhas no fundo.
Alice curtindo cada momento de nossa aventura nas belezas de Puerto Varas!

Como chegar

Para chegar no destino, considerando a saída via Bariloche, fizemos a travessia dos Andes de carro pela fronteira terrestre Paso Cardenal Samoré, que demora em média 4h e meia. Seja para ir ao Chile ou para Argentina, não esquece que você precisa estar com passaporte válido ou RG com menos de 10 anos de emissão, e fazer um Seguro Viagem é fundamental.

Fomos de carro porquê, no momento que fomos, o Cruze Andino – que é uma das formas mais tradicionais e muito bonitas de fazer a viagem mesclando transporte de ônibus e de barco – estava com um trajeto interrompido. A previsão de voltar com o Cruze Andino completo pelos lagos é no início de 2024 e com certeza uma boa ideia!

O caminho que fizemos de carro é lindo, e como fomos no mês de outubro, ainda tinha neve, mas já não era o alto inverno, e assim não tinha neve na pista. Se você desejar fazer este trajeto no inverno MUITO cuidado e consideração.

Primeiro porque acumula muita neve e é obrigatório o uso de correntes em alguns pontos. Outro ponto: a fronteira fecha por conta do acúmulo de neve, caso isso venha ser um perigo para os viajantes. E nem preciso mencionar que é importante ter a mala certa – mas meu post sobre mala de inverno inteligente está completo para te ajudar nesse quesito!

Nas outras épocas do ano é bem tranquilo e vocês podem fazer paradas em mirantes lindos, recomendo por exemplo nesta época de primavera, com a neve no alto, mas sem problemas no chão!

Lago Llanquehué vista da cidade de Puerto Varas bem a fundo e montanhas nevadas.
Em nosso caminho: o Lago Llanquehué com a vista Puerto Varas!

A parte da imigração é bem simples, mas lembrando que, se vocês estiverem de carro, vai precisar dar entrada e saída do carro dos países – e isso já deve ser considerado desde a locação do veículo ao estar com a documentação em dia (passaporte, Habilitação Nacional de quem está autorizado a dirigir o carro, e autorização de direção se o carro não for de sua propriedade + seguro que cobre ambos os países – a carta verde).

Com esta parte encaminhada, quando chegar na fronteira, a imigração fará a conferência e entrada da documentação das pessoas, e depois o proprietário ou o autorizado a dirigir o veículo faz a documentação do automóvel.

Onde ficar em Puerto Varas

Ficamos hospedados em uma cabana do Hotel Cabaña del Lago, que tem uma vista incrível para o Vulcão Osorno, está bem localizado e amei acordar e ter uma vista deslumbrante para o lago, e brinquedoteca para os pequenos.

brinquedoteca de hotel com pintura de montanhas verdes e mesinhas pequenas de madeira com almofadas no fundo
A brinquedoteca do nos Hotel Cabaña del Lago.

Além do Cabaña del Lago, a cidade tem outras opções muito boas também de estadias, como:

*Awa Puerto Varas é um hotel bem luxuoso, diria que pode ser o mais luxuoso da região.
*Cumbres Puerto Varas é também bonito e muito bom.
*Radisson Hotel Puerto Varas é um coringa por ser uma rede conhecida, e um bom hotel com excelente localização pois está bem próximo aos restaurantes e comércio local.
*Bellavista e Hotel Solace fecham minhas indicações.

Nosso roteiro e dicas de Turismo em Puerto Varas

Neste post, achei mais prático já trazer o que fizemos dia a dia em nosso estilo, sem esquecer que sou especialista na Argentina e destinos no Chile (principalmente Patagônia) e que posso fazer um roteiro personalizado com tudo o que você precisa em detalhes. Aqui você tem uma amostra do meu trabalho, mas consigo fazer uma viagem exatamente do seu jeitinho e de sua família!

Dia 01: Saímos de Bariloche e fizemos a saída da Argentina e a entrada no Chile. No caminho, cruzamos os Andes e logo de cara foi incrível. Ainda tinha neve, mas o mas lindo são os bosques, em particular os bosques de árvores secas pelas cinzas dos vulcões chilenos. Elas apesar de não terem mais folhas, estão de pé. Algo incrível que entendemos melhor com um tour que fizemos em Puerto Varas com um Guia.

menina dentro de moldura de letreiro com vista para lago ao fundo
Antes do turismo em Puerto Varas: Paradinha em Frutillar.

Antes de chegar em nosso destino, paramos em Frutillar, que é uma pequena cidade encantadora, principalmente na parte baixa da cidade que está as margens do Lago Llanquihue.

Passeamos pela orla do bonito Lago e conhecemos alguns locais bacanas, como o Muelle (que é como um pier para caminhar), no teatro do lago e no museo colonial alemán de Frutillar, que é um museu muito importante, pois conta a história dessa cidade que foi construída e povoada principalmente por imigrantes alemães.

Pier em lago
O simpático Muelle do Lago de Frutillar.

Almoçamos em Frutillar na Creperia Casa Lindemann, gostamos, mas a cidade tem outras boas opções de restaurantes. Mas deixo este link da Secretaria de Turismo da Cidade que tem uma listagem bem interessante de locais para comer. Eu gostaria muito de ter ido no Se Cocina, mas como não tínhamos horário certo para chegar, não fiz reserva – este restaurante precisa de reserva.

Depois de almoçar seguimos para curtir o turismo em Puerto Varas, que fica aproximadamente 30min de Frutillar.

prédio de teatro nas margens lagos
Pra fechar Frutillar: O bonito teatro nas margens do lago!

Ao chegar em Puerto Varas, aproveitamos para descansar no hotel Cabaña del Lago. Na chegada, fomos direto para a piscina que Alice amou, pois é enorme e tem um toboágua. Jantamos no hotel, que possui um excelente restaurante, e foi bom e prático pelo trajeto ser um pouco cansativo.

Dia 02: Acordamos cedo para tomar café da manhã com calma, depois seguimos para trocar dinheiro. O Câmbio no Chile é bem simples, e pode ser feito nas casas de câmbio tradicionais. Nós fomos na Afex, que fica no centro que tem uma excelente cotação e foi muito bem recomendada.

Além do dinheiro que trocamos também usamos muito o cartão Wise, super bem aceito e com excelente cotação. Usamos em todas as refeições e demais pagamentos.

Em seguida partimos para o nosso tour guiado com o guia Cristo da empresa Turismo Puerto Varas que faz um trabalho incrível e ainda fala português, recomendo muito!

Optamos por fazer o tour em mini grupo para dois lindos locais: o Vulcão Osorno e Saltos de Petrohué.

rio de correnteza dos saltos petrohué com vulcão osorno nevado ao fundo
A belíssima paisagem que nos recebeu dos Saltos Petrohué e o Vulcão Osorno ao fundo: belíssimos!

Nesse tour subimos até a base do vulcão Osorno. Na realidade, ele é um vulcão ativo, mas que teve sua última erupção em 1862, e hoje em sua cratera principal possui uma espessa camada de gelo que cobre essa cratera e os estudiosos dizem que o mesmo não é um risco. Inclusive no local você vai encontrar um centro de esqui bem interessante, que ainda tinha neve para a prática do esporte quando estivemos lá.

A subida para a base do vulcão se faz com uma caminhada de aproximadamente 30min onde passamos por crateras secundárias também. Quem não quer fazer a caminhada tem a opção de subir com as aero sillas do centro de esqui.

Cratera de vulcão entre montanhas
Cráter Rojo, uma das bonitas crateras do Osorno.

Uma das mais bonitas crateras que vimos é o Cráter Rojo (que valeu o registro).

Depois fomos até a parte que ainda tem neve e aproveitamos para brincar e aprender um pouco mais sobre o vulcão Osorno.

Seguimos, e já era hora de almoçar. Comemos em um restaurante super local e que serve um salmão delicioso, seguindo a sugestão do nosso Guia.

menina em banco de barco navegando no lago com vulcão com neve ao fundo
E essa vista incrível no Lago de todos os Santos? Nossa Alice em um lugar lindo!

Em seguida fomos conhecer o Lago de Todos os Santos, e lá fizemos uma navegação pelo lago de aproximadamente 30min onde você pode visualizar o vulcão Osorno de forma majestosa e uma ponta do vulcão la puntilla. Ótima pedida para relaxar após o almoço, e não posso negar que o clima super colaborou com nossa aventura.

Em seguida fomos para um dos lugares mais incríveis do turismo em Puerto Varas. Os Saltos de Petrohué é um parque com duas trilhas: uma para avistar e admirar os Saltos do rio Petrohué, e outra trilha com mirante que é o Sendero Enamorados.

mulher olhando para lado com rio de água azulada e vegetação ao redor
Curtindo o visual dos Saltos do Rio Petrohué, que são de uma beleza ímpar!

A trilha dos Saltos do Rio Petrohué que é super acessível inclusive para quem vai com carrinhos de bebê ou cadeirantes, e também possui descritivos em braile, nessa trilha. Nela é possível avistar as cascatas do rio e o vulcão Osorno.

O rio encanta a todos por ter uma cor verde linda, e o que dá essas cores ao rio são os minerais que compõem a região e a água de degelo.

A segunda trilha, o Sendero Enamorados, está no mesmo parque e é uma trilha menos acessível, mas bem bonita, na qual você consegue ter um mirante para o Vulcão Calbuco e também se pode chegar a uma praia bem próxima ao rio.

Fizemos todos estes passeios guiados e aproveitamos muito a experiência. Para fechar o dia, nessa noite jantamos em um restaurante especializado em frutos do mar, o La Olla. Provamos o salmão que estava muito bom e também um prato com vários frutos do mar e a famosa centolla – opções bem típicas do Chile.

Dia 03: Nesse dia fomos a Puerto Montt, cidade que fica a cerca de 30 minutos de Puerto Varas, mas já adianto que particularmente a cidade não me agradou muito.

É uma cidade bem maior que as demais e destoa do restante da região de turismo em Puerto Varas, e com passeios que também não foram os favoritos da família, mas claro que pode ser de seu gosto e interesse!

balcão de mercado de peixes com salmãos expostos.
O mercado de peixes de Puerto Montt e a variedade em especial de salmão exposta.

Basicamente, o que conhecemos e tem de programação interessante é o mercado de peixes, que é um mercado tradicional, com venda de salmão, truta e frutos do mar em geral, com alguns restaurantes especializados em frutos do mar. No final do mercado, em alguns horários você consegue ver lobos marinhos.

Além disso, tem uma área costanera (próxima de um lago) que vai desde o Museo Historico de Puerto Montt até o Monumento a la Colonización Alemana, que estava sendo revitalizada quando passamos por lá. Pode ser uma opção para quem quer levar as crianças para uma volta, já que tem parquinho e área com quadras e espaço para brincar.

entrada de carros de mercado com torre de identificação do local.
Entrada de Mercado em Puerto Montt, que é mais urbana!

Vale considerar que, se você pretende fazer compras (roupas, maquiagem e outros) neste caso indico Puerto Montt, principalmente o Mall Paseo Costanera, que é um shopping grande e com diversas marcas nacionais e internacionais, e conta com enormes lojas multimarcas, como H&M, Nike, Falabella e mais. No site do shopping tem mais informações sobre lojas e demais estabelecimentos.

Não demoramos e logo voltamos para Puerto Varas e exploramos um pouco mais da cidade. Visitamos a Escultura da Princesa Licarayén, que tem também uma vista linda para o lago e para os vulcões Osorno e Calbuco. Existe uma lenda sobre esta princesa, e vale assistir o vídeo neste link para entender mais do que se trata. 

Estátua em metal de mulher em praça
A Escultura da Princesa!

A partir da escultura, caminhamos até o pier e o centro da cidade para explorar um pouco mais. Desde a orla de Puerto Varas se pode avistar o Vulcão Tronador (que é dividido entre Argentina e Chile, e tem passeios para ver ele mais de perto partindo de Bariloche, conhecido como Cerro Tronador no lado Argentino), a cordilheira dos Andes, o vulcão Osorno e o vulcão Calbuco. O centro tem uma praça com vários comércios, cafeterias, sorveterias, restaurantes e livraria.

Nesse dia jantamos no restaurante Mesa Tropera, que tem várias opções, mas nós optamos por comer algo mais despojado e partimos para uma pizza de camarão.

Taça com drink em restaurantee.
Pisco Sur: delicioso e vale provar!

Também aproveitamos para provar a bebida tradicional deles: o Pisco Sur. É um drink feito da mistura de uma espécie de cachaça chilena feita a base de uva e suco de limão, uma delícia!

Para quem não quer um clima tão descontraído como o do Mesa Tropeira, pode ir no Casa Valdés que é um restaurante especializado em frutos do mar que fica bem próximo também.

Dia 04: Nesse dia fomos conhecer Cochamó e Termas Del Sol. Começamos por Cochamó, um local com várias possibilidades, mas nós optamos só por conhecer a cidade, que é bem pacata.

vista de terra, lago e vulcão ao fundo
Um dos visuais de Cochamó.

Lá você vai encontrar uma igreja bem antiga e charmosa e vai pode caminhar na beira do lago. Tem a possibilidade de fazer um lindo passeio de barco pelo lago. Além disso, a cidade tem muitas opções de trekking e escalada para quem gosta. Tem também os balanços chamados de Coihue de los Columpios. Existe um site oficial e você pode visualizar as opções se desejar conhecer mais.

Passamos pela cidade e fomos para as Termas Del Sol, que ficam uns 50min de Cochamó, pois parte da estrada não está asfaltada e seguimos com calma até lá.

Vista de cima e piscinas de parque termal.
Um pouco da estrutura das Termas del Sol.

Chegamos lá e fomos super bem recebidos. As entradas podem ser compradas no site com antecedência ou na bilheteria, e como nós fomos em um dia de semana que não é alta temporada, compramos lá. Porém, é um percurso longo, e em épocas mais movimentadas é melhor antecipar a compra, para arriscar não ter mais vaga – a alta temporada vai de dezembro a fevereiro.

Na entrada eles passam todas as informações sobre as piscinas e orientam como utiliza-las, além claro de disponibilizar o cadeado para os armários, que eles disponibilizam gratuitamente onde você pode guardar os seus pertences.

mãe e filha caminhando em caminho com natureza e árvores ao redor
Passeando na natureza no caminho das termas com a Alice!

Além disso, tem toda a estrutura de trocador, banheiros e um café / restaurante que inclusive estava sendo ampliado. De toda forma, o local está no meio da natureza e cercado de muito verde.

Termas Del Sol não disponibiliza toalhas, então eu montei uma mochila com tolhas, protetor solar, chapéu, chinelo e roupas para trocar quando sair.

Almoçamos por lá e provamos a famosa torta tres leche que é uma clássica sobremesa Chilena a base de doce de leite que você precisa provar.

mãe e menina de costas dentro de piscina termal ao ar livre
Água quentinha, família e paisagem linda: um dia muito gostoso!

As piscinas variam de 36°C a 45°C e a recomendação é que comece com as mais frias e vão subindo para as mais quentes. As águas são retiradas de uma fonte natural a 60°C e durante a noite eles fazem o resfriamento e vão ajustando conforme o dia.

O tempo todo tem funcionários medindo a temperatura da água. Essas águas não possuem nenhum tipo de aditivo químico, e por serem de fonte natural, possuem elementos que ajudam em tratamentos de dermatites, fungos e outras doenças.

piscina vista de cima com monhtanha ao fundo
Mais uma das piscinas das Termas del Sol.

A tarde voltamos para Puerto Varas, e jantamos no restaurante La Marca que é uma tradicional parrilla chilena. Provamos uma comida muito boa e também tem excelente opções de vinhos.

Esse foi nosso último dia em Puerto varas, na manhã seguinte tomamos café da manhã e retornamos para a Argentina.

Dicas bônus

A viagem super gostosa e agradável, e achamos que valeu conhecer uma região tão bonita e com ótimos passeios.

Além dos locais que já indiquei, ainda há outros restaurantes recomendados na cidade que valem a menção: o Awa Restaurant, a La Vinoteca, e o Ibis Restaurante (que não tem relação nenhuma com a Rede de Hotéis Ibis, só uma coincidência do nome mesmo).

família de pai, mãe e menina com vista de rio esverdeado ao fundo.
Memórias em família renovadas com sucesso em Puerto Varas!

Se quiser ainda acompanhar mais dicas e ver imagens extras, existe um Instagram do Turismo em Puerto Varas que você pode acessar, e também fico a disposição no meu insta e contatos das minhas redes sociais para tirar dúvidas sobre este destino, e também dar mais detalhes sobre meus serviços de Viagem Sob Medida.

Mas sem hesitar: Super recomendo a aventura, e espero que você se anime em curtir Puerto Varas com sua família que vai valer a pena, e estou aqui pra te ajudar com essa possibilidade: bora lá?

vista de geleira com árvores a frente e montanha ao fundo

El Calafate e Torres del Paine: Guia Prático para montar sua viagem

Viajar para El Calafate e Torres del Paine, na Patagônia Argentina e na Chilena respectivamente, é ainda uma opção não tão pensada por muitos viajantes, mas que é uma excelente combinação para conhecer alguns espetáculos da natureza da região.

É claro que é possível combinar El Calafate com outros destinos icônicos e bem procurados na Argentina por estarem no mesmo país, como Bariloche, Ushuaia (super comum) e mesmo com uma passagem ainda que rápida com conexão em Buenos Aires.

Porém, o fato é que Torres del Paine, mesmo estando no Chile, é a opção bem mais próxima de El Calafate, em uma viagem de carro de menos de 5 horas de um ao outro, ou mesmo de ônibus é possível fazer.

lago azul com montanhas nevadas ao fundo
O visual de Torres del Paine: lindo! Crédito: Canva.

Pra dar uma noção, os trajetos de carro de Ushuaia ou Bariloche, saindo El Calafate, dão mais de 14h de viagem de carro. Naturalmente quase todos os turistas então o fazem de avião, em voos de 1h30 em média. Por isso, fazer o trajeto El Calafate e Torres del Paine te dará a oportunidade de fazer uma viagem icônica pelas estradas argentinas, e ainda conhecer mais um lugar surpreendente no Chile.

E o mais legal é que esta viagem de El Calafate e Torres del Paine é sim para qualquer idade! Montei um roteiro personalizado para uma família que tinha o sonho de conhecer a região, e o grupo deles tinham pessoas de 3 até 70 anos, e mesmo com essa grande diferença deu certo, claro, contando vários aspectos do perfil dos viajantes que sempre analiso!

Neste post a ideia então é falar sobre a viagem para estes dois destinos, porém não vou incluir El Chaltén, mais um destino da Patagônia que também é possível combinar a partir de El Calafate, mas que ficará para outra viagem!

El Calafate e Torres del Paine: Dicas para começar a Planejar

> É importante escolher a época mais adequada para conhecer os destinos, já que há determinados meses que algumas atividades não são realizadas, em especial aquelas que dependem de condições climáticas favoráveis. O verão é a melhor época, com dias mais longos e temperaturas mais amenas.

> Escolha ficar pelo menos 6 dias para conhecer os dois destinos, e não faça bate volta de Torres del Paine, mas pelo menos faça 2 pernoites para conhecer boa parte do Parque de Torres del Paine, que é bem grande, e as melhores atrações de El Calafate.

> A forma mais prática de fazer esta viagem é chegar via Argentina por El Calafate, e seguir via terrestre indo e vindo ao parque de Torres del Paine (com base na cidade de Puerto Natales). Quem vem do Brasil não consegue voos diretos, sendo a alternativa mais prática e comum chegar via Buenos Aires, e depois seguir em voo até El Calafate.

Existem três cias aéreas que fazem o trajeto de Buenos Aires para El Calafate: Aerolineas Argentina, Flybondi e JetSmart.

https://www.aerolineas.com.ar/

https://flybondi.com/ar

https://jetsmart.com/ar/es/

> Observe que é um destino bem ao Sul dos dois países, e como é de se esperar, mais gelados, e as malas continuam com tamanhos reduzidos. Por isso, uma mala de inverno inteligente é o ideal para uma viagem como esta, mesmo em meses mais amenos. Não deixe de verificar a previsão e temperaturas antes de ir, mas já adianto que no mínimo um friozinho vai fazer, ou muito mais!

Para realizar atividades na natureza, como trekking na geleira, é possível fazer locação de roupas e equipamentos na cidade.

> A documentação para imigração nos dois destinos são as mesmas por se tratarem de países do Mercosul, onde você pode usar passaporte válido ou RG com menos de 10 anos de emissão na versão tradicional (a versão militar por exemplo não é aceita). Visto para turismo não é requerido se ficar por menos de 90 dias no país.

E quem for dirigir, o motorista não pode esquecer a CNH, que deve ser apresentada junto com o passaporte no momento da locação do carro. Entendo que a locação de carro é boa opção para a viagem toda, mas informe e negocie a questão de seguro para cruzar outro país, existe um custo adicional.

Para ir e vir de Torres del Paine ainda tem opção de ônibus também até Puerto Natales. Independente da opção, não esquece dos documentos, já que tem imigração na fronteira Argentina-Chile.

Vale saber que não existe transporte público nas localidades (com exceção do Glaciarium em El calafate, que há um ônibus da prefeitura) e nem transporte tradicional por aplicativo. A alternativa são os Remis na Argentina, que são como táxis, mas funcionam por chamada e possui o preço tabelado. Geralmente quando você pede para um hotel ou restaurante solicitar um carro para você é um Remis que eles vão chamar.

uma parte de glaciar com montanhas ao fundo
Um cantinho da paisagem linda de El Calafate. Crédito: Canva.

Também é válido ter vouchers de passeios e serviços na mão, inclusive impressos, e dinheiro. Aliás, no caso de El Calafate, você tem algumas vantagens na questão do câmbio, e vale a pena ler o post sobre as diferenças de câmbio e como fazer o mais vantajoso para a sua viagem.

Importante ressaltar que El Calafate é uma cidade é pequena para fazer câmbio, e pode ter falta de dinheiro em espécie para realizar as trocas em alguns dias. Por isso, se descer em Buenos Aires, vale fazer câmbio na capital antes de seguir viagem.

> O chip internacional ou acesso liberado a internet também são importantes, deixe isso já organizado!

> Ainda que as cidade não sejam grandes, elas são turísticas e possuem boa estrutura hoteleira e de serviços, em especial El Calafate. Aproveite para curtir um estadia aconchegante e provar os sabores da Patagônia, incluindo as famosas parrilas e empanadas argentinas e chilenas.

Onde ficar em El Calafate

O centro é a região mais prática para se hospedar e seguir para os passeios que ficam nos arredores – em especial o Glaciar Perito Moreno, que está a cerca de 1h30 do centro.

Por ser uma cidade pequena, outras áreas são para quem deseja curtir a estadia em si, e minhas recomendações são todas na região central. Algumas opções são:

Esplendor El Calafate: Hotel da Rede Whydam com linda vista e alto padrão. https://esplendorelcalafate.com/

Lagos del Calafate: Opção moderna e confortável também de padrão superior. https://www.lagosdelcalafate.com//index.php

Hotel Del Glaciar: A opção de melhor custo benefício, conta com bar e restaurante também. https://www.glaciar.com/

Mirador del Lago Hotel: Aconchegante e com bom restaurante e vista, também de alto nível. http://www.miradordellago.com.ar/

Blancas Patagonia: Estadia de experiência com cabanas boutique até 7 pessoas e campo de lavandas. https://blancapatagonia.com/Inicio.html

Onde ficar em Torres del Paine

A melhor opção considerando uma cidade é ficar em Puerto Natales, e seguir para os passeios no Imenso Parque de Torres del Paine. Há vários circuitos onde é possível conhecer as diversas montanhas, lagunas, cachoeiras e demais atrações naturais, e a opção abaixo tem esse perfil:

Hotel del Paine: Hotel bem estruturado com chalés e linda vista da cordilheira. https://www.hoteldelpaine.com/

Mas, também é possível se hospedar dentro Parque de Torres del Paine. São opções mais sofisticadas e completas, e acabam sendo mais práticas para quem deseja explorar mais de perto a natureza, mas… é claro que também são mais caras e demandam um investimento maior, mas definitivamente são excelentes. As duas opções a seguir são neste perfil:

Lago Grey Experience Hotel: A mesma empresa que também oferece uma navegação de barco pelo Lago Grey, assim como pacotes com excursões e experiências em regime all inclusive. https://www.lagogrey.com/en/home/

Tierra Patagônia: Mais uma opção que na verdade dá pra chamar de full inclusive por oferecer todas as atividades, excursões, estrutura e refeições pelo mesmo empreendimento. A rede Tierra é especialista em destinos de aventura e de grandes excursões com conforto e bastante comodidade. https://tierrapatagonia.com/

O que fazer em El Calafate e Torres del Paine

Curtir as paisagens incríveis entre geleiras, lagos e montanhas são os passeios obrigatórios. Mas também tem outras opções interessantes de experências de aventura, gastronomia e inclusive enoturismo. Por isso aqui estão os passeios possíveis que considero mais bacanas:

vista de geleira com árvores a frente e montanha ao fundo
A paisagem de geleira sempre é de tirar o fòlego! Crédito: Canva

Em El Calafate

Glaciarium: É um grande centro de aprendizagem e museu que explica sobre as formações geológicas da Patagônia, incluindo detalhes do Glaciar Perito Moreno. É bem interessante e tem café, museu e loja. https://glaciarium.com/es/

Letreiro de El Calafate e Atividades no Glaciar Perito Moreno: O clássico e imperdível passeio no Glaciar para ver toda sua majestada, e garantir seu registro local no letreiro. Nem precisava mencionar que é obrigatório ao menos para visitar as passarelas e contemplar a majestosa paisagem.

Na região do glaciar, ainda há atividades extras muito bacanas, incluindo o passeio de barco Safari Nautico; e o Mini Trekking pela geleira com vistas para o glaciar, para ter uma vivência mais próxima e intensa na imensidão de gelo. Ainda tem destaque para a experiência gourmet com a navegação e acesso às passarelas oferecida pela empresa Patagonia Chic (para realizar a experiencia gourmet com menu 4 passos precisa comprar o acesso a Salón Premium).

Calafate Night: Uma experiência para os fãs de turismo astronômico e a possibilidade de observar as estrelas e elementos da paisagem a noite.

Nativo Experience: Uma opção bem bacana menos tradicional de conhecer mais da geologia da região além dos glaciares, e com a oportunidade de realizar uma refeição dentro de uma caverna.

Calafate Wine Tour: Um delicioso tour a pé com um mix de história e desgustação de vinhos e espumantes, bem interessante.

Museo del Juguete: Uma exposição permanente com uma estrutura de 1600m2 de emoções, incluindo uma loja de souvenirs. Os brinquedos expostos, tanto argentinos como estrangeiros, são reconhecidos e cobiçados por colecionadores de todo o mundo e, na maioria das vezes, estão listados em catálogos internacionais.

Plaza de los Niños Ausentes: possui um parquinho ondem podem brincar um pouco e apreciar a bela vista do Lago Argentino. Uma opção para distrair um pouco quem vai com crianças.

lago com montanha nevada ao fundo
Um dos vários e lindíssimos lagos de Torres del Paine. Crédito: Canva.

Em Torres del Paine (base em Puerto Natales)

A ideia deste post é trazer as opções mais leves, já que o parque é enorme e possui diversos circuitos, sendo o Circuito W o mais completo para cerca de 5 dias, e demanda mais tempo e disposição, com alguns trajetos mais difíceis para alguns atrativos.

Mas considerando uma viagem de atrações mais leves, as sugestões são:

Navegação Lago Grey: Um percurso de 3h em um catamarã pelo mágico Lago Grey até a parede frontal do Glaiar Grey, que é considerada a terceira maior massa de gelo do mundo.

Tour ou rota de carro: Ótima opção para conhecer lindas paisagens com conforto. Você pode contratar este tour com empresas especializadas, ou realizá-lo por conta de carro. Algumas das atrações que você consegue conhecer são: Laguna de los Cisnes, Laguna Amarga, Mirante do Lago Nordenskjold, Salto Grande e Lago Toro.

E a Caminhada até a Base das Torres? Apesar de ser um lugar clássico e símbolo local, é um trekking difícil, com pedras e longas caminhadas e vai demorar no mínimo 8h para ir e vir, mas quem não tem condicionamento pode ir para 10h ou mais. Em um roteiro mais familiar, não recomendo.

E aí, já deu vontade de planejar uma viagem em família para El Calafate e Torres del Paine? E conte comigo para fazer uma Viagem Sob Medida para você e sua famíllia, com muito mais detalhes, opções gastronômicas e um modelo especial para você. Bora viajar?