pista de esqui

Onde esquiar na Argentina em família: Melhores estações de esqui!

A família decide que quer viver uma experiência de neve na Patagônia, e logo pensa: onde esquiar na Argentina e aproveitar tudo com todas as idades? Pois este post vai te ajudar a tomar uma boa decisão!

Ainda que destinos tradicionais como Bariloche sejam as primeiras opções de boa parte do público, há mais algumas ideias que podem ser boas pedidas, e assino embaixo por já conhecer algumas das possíveis pistas, e morando na Patagônia, consigo sempre descobrir um pouco mais das que ainda não conheço e atualizações.

menina e homem com esquis no meio da neve
Alice na Aula de Esqui já arrasando muito!

Por isso garanto que se você quiser contratar meu meu serviço de Viagem sob Medida, vai ser tudo feito com muita qualidade de conhecimento!

Isso porque uma viagem como essas não é importante apenas saber onde esquiar na Argentina, mas também entender dos acessos, estrutura e alternativas para quem quiser realizar atividades além do esqui – muito comum, afinal nem todo mundo gosta, se adapta, e até mesmo na hora pode mudar de planos, e ter alternativas sempre é importante.

Então, bora entender um pouco mais sobre esse tópico?

Onde esquiar na Argentina – As opções disponíveis

Antes de esquiar, lembre-se de consultar cada tipo de passe de esqui conforme opções de acesso. Para apenas conhecer e apreciar o lugar pode ser um passe diferente daquele de quem vai de fato esquiar, e ainda há mais variações considerando o tipo de pista e nível desejado.

E por favor: um Seguro Viagem adequado pra prática é essencial – eu mesma já precisei de atendimento médico na neve!

Agora, considerando os principais centros de esqui do país, são 8 opções disponíveis para amadores e profissionais aproveitarem pistas de esqui. Elas são, conforme mapa abaixo:

Mapa do Esqui Argentino. Crédito da imagem: Lugares de Nieve
  1. Los Penitentes – Mendoza
  2. Las Leñas – Malargue
  3. Caviahue – Loncopué
  4. Chapelco – San Martín de los Andes
  5. Cerro Bayo – Villa la Angostura
  6. Cerro Catedral – Bariloche
  7. La Hoya – Esquel
  8. Cerro Castor – Ushuaia

Cada um deles tem sua localização e características, e oportunidades de turismo nos arredores. Vou focar naqueles que NÃO indico, e naqueles que são as minhas maiores preferências.

Onde NÃO esquiar na Argentina

Destas 8 opções principais, deixaria duas de fora. A primeira, não indico Los Penitentes, em Mendoza. Eu amo Mendoza por suas vinícolas maravilhosas, mas não marcaria uma viagem para esquiar no destino com este foco.

O Los Penitentes é muito pequeno e muitas vezes não tem neve, então não acho uma pedida muito assertiva.

Talvez, se você estiver no alto inverno na cidade, aproveitando as experiências nas vinícolas e quiser complementar sua viagem visitando Los Penitentes, com a sorte de ter caído uma boa quantidade de neve por lá, pode ser que sua experiência seja positiva, mas esquiar em Mendoza jamais deve ser o plano principal, e ficar apenas como um plano B de sua viagem.

Eu também não indico o centro de Caviahue, pois eu acho perigoso para turistas. Não pelo centro de esqui em si, mas pelo seu acesso.

O problema ali é o contrário de Mendoza, às vezes neva muito lá! E quem não tem experiência na estrada e na região pode ter problemas para ir e vir. É sério, todo ano tem caso de turista que se perde em estrada, que precisa ser resgatado porque pegou a estrada nevando e se perdeu.

E como Caviahue também estará fora das principais rotas turísticas dos brasileiros, acho que você acabará aproveitando mais as demais estações.

Onde esquiar na Argentina com a família!

Agora sim, indo para o que interessa, deixo minhas indicações favoritas entre os principais centros de esqui da Argentina. Conheço todos eles, e indico conforme a seguir:

Cerro Bayo – Villa la Angostura: Nem todo mundo pensa em ter experiências de esqui e mesmo conhecer Villa la Angostura, mas… te adianto que é um super destino na Argentina, e que faz jus as indicações de onde esquiar na Argentina.

O Cerro Bayo é super estruturado e fica somente a 9 km do centro de Villa la Angostura, que aliás, é bem charmoso e com boas opções de lojas e comércio, além de ter lagos e paisagens naturais belíssimas.

Nossa Alice curtindo o Cerro Bayo

Cerro Bayo é um centro de esqui boutique e muito bacana em várias épocas. Pra quem está mais interessado na diversão familiar, skibunda e snow tubing (deslize com bóias) são opções gostosas pra brincar na neve. Mas, é claro que existem diversas pistas de esqui de muitos níveis, garantidas no quesito neve mesmo para iniciantes, já que há pistas neste nível próximas ao topo.

Minha dica pessoal: ainda existam restaurantes no topo e na base, o Refúgio Tronador no topo é ótimo, com bom cardápio que inclui opções kids friendly.

Cerro Catedral – Bariloche: Queridinho dos brasileiros por estar na cidade mais visitada por nós na Patagônia Argentina, o Cerro Catedral é aquele clássico que sempre dá certo!

Este é simplesmente o maior e mais antigo centro de esqui da América do Sul, com pistas de todos os níveis e gostos, e com muita estrutura para amadores e profissionais, seja para a prática do esqui ou do snowboard, com mais de 60 pistas disponíveis, e através dos teleféricos consegue transportar em torno de 29 mil pessoas por hora até o topo da montanha.

Mas claro que tem muito mais, com espaços para fotos, restaurante, classe com aulas de esqui, lojas, um centro muito completo.

Fica a cerca de 20 km do Centro de Bariloche, que também é repleto de atrações mesmo pra quem não quer esquiar, como outros centros de neve, passeios em lagos, patinação no gelo e muito mais.

Querendo mais detalhes, no meu guia Bariloche Memorável pode saber que tem muito mais sobre o Cerro Catedral e todas as possibilidades da cidade e região!

pista de esqui
Pra fechar, mais uma das pistas de esqui que passamos.

Chapelco + Bônus La Pendientes – San Martín de los Andes: Incluí os dois Cerros já que estão na mesma cidade, ainda que La Pendientes não esteja no mapa, na verdade as duas estações ficam no mesmo Cerro, que tem o nome de Cerro Chapelco.

Nossa experiência mais recente inclusive foi em Las Pendientes em San Martín de Los Andes, mais uma cidade menos óbvia e muito boa para esquiar e passear – incluindo a belíssima Ruta de los Siete Lagos, e com vantagem de também ter voos diretos saindo de Buenos Aires.

O Centro de esqui Chapelco é bem grande, com mais de 30 pistas de esqui. Já o de las Pendientes é o pequeno com apenas duas pistas principais e um meio de elevação. Ambos rendem belas vistas das montanha entre lagos e bosques. Há também atividades diversas incluindo o tubing, snowmobile e snowshoeing (caminhada com raquetes de neve).

E eles são vizinhos, visto que, dá pra ir esquiando de um para o outro pela pista que liga os dois centros de esqui – sem esquecer claro a necessidade de ter passe para ambos

‌Sendo assim, indico muito os centros de esqui de San Martín de Los Andes para quem quer de fato esquiar bastante, já que são 2, e quem tem mais experiência e vontade de fazer uma viagem com este foco (foi o nosso caso) vai aproveitar, inclusive pelas estadias disponíveis bem próximas dos cerros.

Agora você já sabe onde esquiar na Argentina! Escolha o Cerro que tem mais a sua cara, e precisando pode falar comigo que será um prazer te ajudar a planejar uma viagem de esqui com sua família. Conheça meu trabalho e pode conversar comigo também nas redes sociais que garanto que vai ser uma aventura inesquecível!

feira de artesanato de rua antiga

O que comprar na Argentina? As melhores recomendações.

Há quem me pergunte o que comprar na Argentina, afinal, além de ser travel designer especialista no país, moro aqui e claro que as pessoas querem saber quais são as melhores oportunidades na terra dos nossos hermanos.

Existem oportunidades e alguns produtos que valem a pena? Sim! E na continuação do post menciono algumas delas que vale deixar espaço na mala para levar pra casa.

Porém, não posso deixar de dizer logo de cara que, sinceramente, se pensar somente no quesito preço, a Argentina há muito tempo já não é um destino tão interessante para isso de forma geral. Achar que o país vai ser mais barato para investir em refazer o guarda roupa ou comprar artigos diversos de uso pessoal não vale a viagem.

feira de artesanato de rua antiga
Feirinha de artesanato nas ruas de Purmanarca.

No entanto, é claro que vale planejar conhecer alguns dos incríveis destinos argentinos (seja do norte em Salta até a Patagônia de lugares únicos como Ushuaia ou El Calafate), e também separar um tempinho e orçamento para compras, isso vai compensar com certeza.

O que considerar antes planejar compras na Argentina?

Antes de mencionar o que comprar na Argentina na minha opinião, é interessante entender que a Argentina é um país grande, com regiões diferentes e definidas, e assim como a vida no sul brasileiro é muito diferente do norte, a cultura, o clima e as características de cada região também mudam, assim como seus artigos e produtos.

Digo isso porque houve passageiros que queriam ter experiências de degustação e compras de vinho em Bariloche, porém, a cidade não é referência no assunto, e até existem algumas opções, mas é muito diferente de Mendoza, que é referência mundial e ali sim há uma diversidade enorme de bodegas, e você poderá trazer muitos rótulos de qualidade pra casa.

Mas é claro que alguns produtos são ícones em todo o país, caso do doce de leite. Porém, não se esqueça que, no caso de itens perecíveis, de forma geral somente o que for industrializado e estiver devidamente fechado poderá sair do país com você.

O doce de leite é um item que acontece de ficar no aeroporto por falta de atenção dos turistas em comprar algum tipo artesanal, e a pessoa fica sem seu gostinho da viagem na hora de ir embora! Então atenção para isso também!

Dicas de itens que valem a pena comprar

Vinhos: Eu amo um bom vinho, e pra quem quer aproveitar o país para comprar bons rótulos, tem que ir pra Mendoza, e vale ir inclusive com as crianças como nós fizemos. São cerca de 1200 vinícolas na região, quase 200 delas abertas para visitação.

Impossível não ter algum vinho que você não queira trazer pra casa, não é? E claro que você pode não ir até lá, mas encontrar rótulos de bodegas importantes e premiadas no país, principalmente na capital Buenos Aires. Minha dica então é, se estiver na Argentina, mas não em Mendoza, verificar quais marcas você quer conhecer e provar, e verificar sua disponibilidade no destino que você estiver.

Doce de leite: De fato são deliciosos, e existem boas marcas locais para provar e trazer pra casa. Havanna e Cachafaz são marcas das mais comuns e conhecidas dos turistas, porém a Chimbote é uma marca mais sofisticada e histórica que é uma das favoritas por quem entende. Também indico La Sereníssima, Sancor e Campo Quijano.

Balcão refrigerado com chocolates
Vai um chocolatinho argentino? Delícias da Amazonia em Villa la Angostura

Alfajores e Chocolates: O alfajor é um doce muito tradicional não tem como não trazer pra casa, então vale muito considerar.

Mas, nem todo mundo considera o chocolate como prioridade da lista de o que comprar na Argentina, mas como tem muita gente chocólatra e marcas bem bacanas e tradicionais, por que não deixar indicações aqui?

Considerando opções entre chocolates e alfajores, nas opções mais comerciais, os chocolates diferentes da Milka sempre são pedidas, que podem não ser as mais saborosas, mas são acessíveis, e diferentes do que temos no Brasil. Acho que vale provar e ver o que você acha.

Entre opções mais saborosas, uma marca que é da Patagonia mas também tem várias lojas na capital é a Rapa Nui, e seus deliciosos ositos (ursinhos de chocolate recheados com doce de leite) que são muito bons.

Se estiver na Patagônia, alguns sabores são específicos e recomendo, como a Mamushka, em Bariloche e Villa la Angostura, a Amazonia também em Villa la Angostura, e a La Vieja Aldea, em San Martín de los Andes.

Roupa de Inverno: Um paíse cheio de destinos gelados definitivamente vai ter grande variedade de roupas que atendam bem no dia a dia para o frio, além de ter uma variedade de opções maior, seja em acessórios como cachecóis, luvas, mantas, etc. assim como blusões e principalmente casacos bem estilosos.

Quem vai pra capital Buenos Aires, podem aproveitar o Outlet Distrito Arcos em Palermo. Ali são mais de 50 lojas com opções de roupas e mais artigos para todas as idades e estilos, de marcas globais e locais. O preço não é tão vantajoso, mas a variedade sim. E bem pertinho em Palermo Soho tem muitas opções de lojas pra conhecer caminhando pelo bairro.

Artigos em couro: O couro da Argentina é bem famoso, e em Buenos Aires existe até Roteiro de compras em Palermo especializado neste item, com marcas como Prune, B&M, Lupe Boloque, Mishka, Adera e mais.

Existe inclusive um Fashion Tour feito a pé em Palermo, com guia que te leva a ateliês e boutiques exclusivas e pouco exploradas, e roupas que apenas são parte da moda no país.

Cervejas locais: Para quem não dispensa de uma cervejinha, ao menos conhecer espaços e aproveitar para beber e até comprar algumas das clássicas Quilmes e Patagonia para curtir em casa pode ser o seu tipo de compra, fica de sugestão.

Lembranças e Artesanatos: E não podia deixar de dizer que você precisa fazer aquela comprinha pra lembrar de sua visita à Argentina. Todo destino tem seu souvenir, mas ainda recomendo a feira de antiguidades de San Telmo, em Buenos Aires, que pode ser uma lembrança bem original que você irá trazer do país.

Agora que você já sabe o que comprar na Argentina, que tal me deixar personalizar sua viagem com as melhores experiências no país? Conheça meus serviços de Viagem Sob Medida, e prometo que sua experiência será incrível, até as suas compras!

mulher abaixada em salar infinito

Norte Argentino: roteiro de uma viagem incrível de 5 dias em Salta e Jujuy

Conhecemos o Norte Argentino (depois de tanto falar aqui sobre Patagônia no Sul do país), e posso adiantar que é claro valeu muito a pena – e como não seria em uma região com salares, montanhas coloridas, culturas e até turismo astronômico?

Sendo assim, neste post conto toda nossa experiência nesta região que compreende as províncias de Salta e Jujuy, porém adianto que nossa pequena aventureira Alice não esteve comigo e meu esposo desta vez – mas não ia deixar de compartilhar aqui esta experiência, mesmo com o blog que leva o nome dela!

mulher abaixada em salar infinito
A magia do norte argentino é incrível!

Mas eu e meu marido já queriamos fazer uma viagem sozinhos para comemorar os 10 anos de casados e como o hotel que queriamos ficar no salar só aceita crianças maiores de 12 anos resolvemos optar por essa viagem sozinhos – porque todos os casais merecem suas escapadas, não é?

Porém, claro que aqui acredito e sempre incentivo as famílias realizarem suas viagens, e é possível sim fazer com planejamento uma viagem que inclua crianças.

Fizemos então um roteiro de 5 dias deliciosos com gastronomia, experiências e natureza de tirar o fôlego que compartilho agora, mas antes, algumas dicas:

Como chegar

Pensando em quem vem do Brasil, Salta tem voos direto com Guarulhos pela Aerolineas Argentina semanalmente, que é a melhor opção para boa parte dos brasileiros. Porém, o maior número dos voos diretos saem de Buenos Aires, mas da capital você vai acabar “descendo e depois subindo”, e isso faz com que a viagem tem um maior número de horas, por isso, se for possível, sair de Guarulhos é melhor.

Prédio histórico com arcos e torre ao fundo
Cabildo de Salta – Lindíssimo prédio histórico do museu de história do norte.

Claro que isso também não impede de montar um roteiro personalizado na Argentina, que é meu trabaho e especialidade – melhorando a logística e conhecendo outros lugares que valem a parada também.

Mendoza, Córdoba e Neuquén são destinos que também possuem voos diretos, e até Puerto Iguazu é uma opção (com menores frequências), e você poderia cruzar a fronteira a partir de Foz do Iguaçu e pegar o voo dali para o Norte Argentino.

Onde ficar, como se locomover e melhor época

A viagem ao Norte Argentino tem muito vai e vem, e é comum os viajantes já encontrarem soluções práticas para se hospedar e se locomover na região.

Vou indicar ao longo do roteiro alguns locais que nos hospedamos e foram bacanas, mas adianto que considere dividir hospedagens de acordo com os atrativos que desejar conhecer, e contratar transporte que faça as locomoções. Alugar carro ou realizar as idas e vindas com ônibus também são opções.

Por fim, o período entre março e maio – no outono – é a época mais recomendada para visitar. É possível sim fazer em outros meses, mas tanto frio como calor demais podem ser incômodos, além de chuvas (entre dezembro e janeiro), por isso estes são os meses mais indicados.

Quem visitar na época de chuva a região do Salar o verá espelhado, mas nos outros meses secos o verá com os polígonos que fazem formas geométricas.

casal com taça de vinho sob arvores em bancos de pedra
Uma das paradinhas da viagem. Fomos em março, mas não deixamos de usar ao menos um casaquinho em vários momentos.

Não esqueça que são áreas de montanhas com clima ameno ou mais frio, e por isso uma mala de inverno inteligente sempre cai bem, começando pelas térmicas para usar por baixo. A Babydoo é uma ótima loja parceira para roupas de inverno, e você ganha um desconto com o cupom MARIQUEIROZ.

Roteiro no Norte Argentino de 4 dias

Dia 01: Como moramos na Argentina, saímos de nossa cidade Neuquén com voo direto para Salta. Chegamos lá a noite e fomos jantar no Don Salvador, um restaurante excelente e com opções de vinhos salteños, premiado com um certificado de qualidade internacional.

Neste dia foi mais um reconhecimento local e fizemos nosso check-in para uma noite no Hotel Alejandro I que é uma opção central bem localizada próxima a Catedral, com quartos clean e modernos, piscina e academia e café da manhã completo. Confortável, nos atendeu bem para o descanso do pós viagem.

Para conhecer o centro e região histórica (fizemos no final da viagem), os hotéis Amerian Salta, Designer Suites Salta ou Solar de la Plaza Hotel também são boas opções que estão mais próximas dos atrativos desta região.

feira de artesanato de rua antiga
Feirinha de artesanato nas ruas de Purmanarca com o Cierro de Site Colores ao fundo.

Dias 02 e 03: Fizemos check-out e saímos de Salta rumo a Purmamarca, já na provincia de Jujuy. A cidade já está dentro da conhecida Quebrada de Humahuaca, um povoado da cidade que tem uma praça com uma feira de artesanatos e comidas locais como as tortillas, empanadas e Tamales (é parecido com o cuscus recheado que comemos no nordeste brasileiro).

A atração principal da cidade é o Cerro Siete Colores, de onde já é possível ter esse gostinho de vê-lo bem ali deste centrinho, e tem mais detalhes de Purmamarca neste link.

Montanha com diversos tons e cores
O Cerro Siete Colores.

Então chegamos no povoado e logo fomos conhecer o mirante do Cerro Siete Colores. O mirante que tem na cidade para o Cerro é pago e custa 500 pesos argentinos para estrageiros (valor de fevereiro de 2024), mas claro que valeu admirar as diversas tonalidades alaranjadas até tons mais claros deste belíssimo monumento natural.

Depois voltamos e passamos para conhecer mais do centrinho da cidade, e aproveitamos para fazer algumas compras e comer algumas delicías locais.

Em Purmamarca compramos as famosas balinhas de coca, porque depois nossa viagem sera só subida.

Comidas típicas em pratos de barro
Comidinhas típicas de Purmanarca.

Adianto que, na estrada, chegamos ao ponto com maior altitude da viagem que era de 4.170m acima do nivel do mar, o que já causa em muitas pessoas os sintomas que a altitude pode provocar como náuseas, dor de cabeça, falta de ar, cansaço, entre outros. Não é certeza que você terá esse problema, mas na dúvida é bom ter as balinhas para garantir um alívio.

Após essa voltinha, partimos para Salinas Grandes, até o ponto de encontro do Hotel Pristine Salinas Grandes Luxury Camp que justamente fica dentro de Salinas Grandes, e onde passaríamos esta e a noite seguinte, e era uma das altas expectativas que tínhamos nesta viagem ao Norte Argentino.

O Pristine Salinas Grandes basicamente é um camp de luxo que inclui no valor da hospedagem pensão completa e experiências envolvendo o salar e a comunidade local.

chalés tipo iglu em meio a salinas
O “chalé” do Pristine Salinas Grandes Luxury Camp, uma experiência única.

Os tipos de experiências variam conforme a quantidade de noites que você se hospeda no Camp, mas independente de quais sejam feitas, eles possuem muito respeito pela natureza, e por isso, antes de iniciarmos a experiência na comunidade, participamos junto com o guia de um ritual de oferenda a Pachamama, pedindo proteção e permissão para entrar na natureza.

Nós que ficamos duas noites participamos de algumas atividades tanto de dia quanto a noite, e também diariamente finalizávamos com merenda da tarde e jantar no hotel.

Nascer do sol em salina com piscina
O pôr do sol em meio a salina, e ainda com uma jacuzzi para aproveitar, já foi único!

A parte gastronômica já era uma verdadeira experiência. Estávamos em meio as Salinas provando vinhos do norte argentino, e comemos os mais variados cardápios, incluindo até a famosa carne de lhama.

Mas também pudemos desfrutar das seguintes experiências ao estar no Pristina Camp: los piletones (tipo de piscinas criadas para extração de sal), observação de estrelas a noite, e ainda pudemos conhecer uma comunidade local chamada Alfarcito e como eles vivem, com uma pequena igreja e uma paisagem de muitas pedras. No término nos prepararam um belo piquenique as margens do lago.

mesa com vinhos e frios com vista de área desértica
Piquenique em Alfarcito.

Mesmo sendo apenas dois dias no Camp, posso dizer que foi uma experiencia única. Provamos sabores diferentes e vivemos uma experiência totalmente imersiva na natureza, com guias locais e conforto, e vistas maravilhosas.

Ah claro, e como muitas pessoas que visitam salares, nós tiramos muitas fotos bacanas na imensidão branca, inclusive aquelas divertidas com perspectivas bacanas, o que dá pra fazer da porta de sua acomodação.

foto com ilusão de ótica de mulher imensa com pequeno homem au fundo
Uma gigante e um pequeno? Sim as fotos são muito legais nos salares!


Dia 04: Fizemos nosso check-out e retornamos para Salta, mas antes passamos na cidade Tilcara, um pequeno desvio de Purmanarca de 30 minutinhos que quase não sai do caminho, e fomos almoçar na Vinicola Yacoraite.

A vinícola tem um ambiente lindo, vinhos deliciosos, e pratos deliciosos também. Nós pegamos um menu de 3 passos com harmonização dos vinhos da bodega. Estava tudo muito saboroso.

prato com carne com taças de vinho e paisagem de montanha ao fundo
Almoço maravilhoso em Tilcara.

E nosso almoço foi com a vista para o Cerro Yacoraite, que dá nome a bodega, e é linda. No site dos Viñedos Yacoraite é possível conhecer um pouco mais da proposta.

Por fim seguimos viagem e retornamos para Salta, e jantamos no próprio hotel, pois estávamos bem cansados do trajeto – aliás, a altitude nos deixou mais cansados e considere ir com calma também.

Mudamos de estadia na volta e agora nos hospedamos no Hotel Sheraton Salta, uma excelente opção também, mas está um pouco afastada do centro histórico (ou seja, em uma viagem sob medida para você, com certeza vou ajustar para você se hospedar no centro para conhecê-lo).

Fachada de catedral antiga
Catedral de Salta

Dia 05: Aproveitamos então para conhecer a região central de Salta, e há várias atrações culturais e locais bacanas. As que mais gostei foram a Praça 9 de julho, o Museu arqueologico de alta montanha e o Museum de história do norte.

Ali nós almoçamos no tradicional Doña Salta, que é um restaurante com deliciosas empanadas saltenhas e pratos bem locais como a cazuela de coelho, locro e outros. Não fazem reservas.

Após o almoço a ideia era ainda aproveitar parque General San Martin que é bem bonito e o teleférico San Bernardo. Infelizmente, havia previsão de tempestade justamente no dia que iríamos subir, e por isso o teleférico interrompeu o seu funcionamento e não pudemos subir.

Mas fica a dica para vocês que lá de cima tem uma vista linda da cidade e assim encerramos nossa viagem pelo norte argentino apenas com o último pernoite, já que retornamos bem cedo no dia seguinte.

Daria pra fazer um roteiro diferente? Com certeza, visto que na região há muitas outras opções de locais para conhecer e restaurantes, inclusive mais vinícolas.

mulher em frente a domo em salar
Ainda do quarto do Camp.

O nosso foco nessa viagem era Salinas Grandes e por isso não fizemos a região Sul de Salta, que é onde estão várias atrações naturais da província e também a cidade de Cafayate que possui uma rota vinicola muito interessante.

Mesmo assim, foi uma grande experiência, e por isso vale montar esta viagem com o seu estilo, porque ela pode ser feita de muitas maneiras, inclusive com mais experiências gastronômicas e atrativos naturais belíssimos, e seja como for o importante é ir!

Bora para Salta e Jujuy? E pode contar comigo para fazer o roteiro do seu jeitinho que prometo que vai valer a pena!

pista de neve com montanhas nevadas ao fundo

San Martín de Los Andes no Inverno: Roteiro de 4 Dias!

Conhecer San Martín de Los Andes no Inverno é uma ótima dobradinha na Argentina tanto de Bariloche e região quanto com Buenos Aires, e o destino conta com muitas atrações muito boas para quem gosta e ou deseja curtir a neve, mas também boa gastronomia, diversão e compras.

Como chegar e Dicas Gerais

Nós fomos em 2023 de 19 de agosto a 22 de agosto. Fazer a viagem à San Martín de Los Andes super funciona fazer combinando com Buenos Aires, visto que San Martín tem um aeroporto que recebe voos da capital argentina.

Você também pode chegar via Bariloche com cerca 3h de trajeto de carro até San Martín, e mesmo quem não gosta tanto de ir pela estrada, saiba que não é ruim, pois pode se programar para fazer a famosa Rota dos Sete Lagos nesse trajeto de uma cidade para a outra. Inclusive tenho um Guia Completíssimo sobre Bariloche e com meu suporte para sua viagem que você pode acessar aqui.

selfie de mãe e pai com filha pequena no meio e montanha ao fundo
Mais uma aventura em família: Já adianto que curtimos muito nosso roteiro em San Martín de Los Andes no Inverno.

IMPORTANTE: Se optar por viajar de carro até San Martín de Los Andes, saiba que no inverno sempre tem risco de nevasca na estrada. Antes de qualquer coisa, dirija com bastante cautela e obedeça a sinalização e as orientações dos policiais rodoviários. Além disso, é essencial estar preparado e ter em seu carro as correntes de neve para os pneus, e não apenas as tenha, mas certifique-se de saber como colocá-las, você realmente pode precisar.

Aliás, foi o nosso caso, porém, como moro há alguns anos na Argentina e trabalho com roteiros personalizados aqui, já sabíamos bem o que fazer. Se nunca uso as correntes tem pouca experiência, não hesite em contratar alguém para fazer este trajeto,

Roteiro de 4 dias em San Martín de Los Andes no Inverno com Dica de Hospedagem e Restaurantes

Nossa viagem para San Martín de Los Andes no inverno teve um grande foco no esqui, e recomendo bastante para quem quiser se aprimorar na prática do esporte – e quem sabe até ter um movimento um pouco menor do que os lugares principais de Bariloche. Por isso, ficamos em um hotel esqui in out na parte central do roteiro, e só fizemos passeios pela cidade no dia de chegada e de retorno.

rua com árvore do inverno e montanha levemente nevada
Um pedacinho do Centro da Cidade.

Porém, também existem mais alguns locais bacanas para explorar. A cidade também tem muitas outras atividades e as pessoas podem se hospedar na cidade e fazer apenas um dia de atividade de neve, ou outras variações.

Sendo assim vou primeiro compartilhar o roteiro que fizemos, e depois mais lugares que você pode querer adaptar para aproveitar a viagem.

Dia 01: Como moramos na Argentina, fizemos um deslocamento de carro desde Neuquén (nossa cidade) até San Martín do Los Andes com todo o cuidado, já que pegamos uma dose de nevasca, mas chegamos bem em San Martín.

fachada de prédio de restaurante
Fachada do La Cabriada.

Seguimos para o almoço e fomos direto para o La Cabriada, um restaurante de carnes argentinas muito bom, localizado no centro da cidade.

Em seguida, não demoramos e já fomos para o nosso hotel que fica no Cerro Chapelco – montanha com cerca de 2.200m da região que conta com as estações de esqui que foi nosso objetivo.

Ficamos hospedados no Hotel El Refugio, que fica dentro de um bairro privado chamado Las Pendientes a 23km do centro e fica lindo com a paisagem nevada. Este bairro conta com o hotel e casas para aluguel na temporada justamente para turismo e prática do esqui, já que tem um centro exclusivo para a prática dos esportes de neve.

centro de elevação na neve
Um dos Meios de Elevação.

O Centro de Esqui de Las Pendientes conta com duas pistas principais e outras pistas menores e possui dois meios de elevação – tipo teleféricos que levam os praticantes para as áreas altas e você não precisa tirar os esquis dos pés. Você pode comprar os passes e contratar aula sem fila, e ter um dia tranquilo no centro de esqui.

Dica: Se quiser um pouco mais de aventura, existe mais um centro de esqui para aproveitar, o Chapelco Ski Resort, que fica a poucos minutos do Las Pendientes.

Estrada com árvores e muita neve
No caminho para Las Pendientes e região.

Ele oferece uma ampla variedade de pistas de esqui para todos os níveis, desde iniciantes até esquiadores mais experientes. Existem mais de 30 pistas, que se estendem por cerca de 140 hectares de terreno esquiável. Além disso, a estação de esqui conta com um moderno sistema de elevação, garantindo um acesso conveniente e rápido às diferentes áreas da montanha.

A paisagem ao redor do Cerro Chapelco é deslumbrante, com vistas panorâmicas das montanhas cobertas de neve, bosques de árvores nativas e lagos cristalinos.

Ali também é possível fazer passeios de snowshoeing (caminhada com raquetes de neve), snowmobile (moto neve) e tubing (descida em boias pela neve). Há também uma variedade de restaurantes, cafés e lojas na base da montanha, onde você pode relaxar e desfrutar de uma refeição deliciosa.

Dica: para as pessoas que não vão esquiar é necessário comprar o passe Telecabina que é o meio de elevação que te leva da base até a altura de 1.600m de altitude, onde se encontram as atividades para não esquiadores e opções de restaurantes também. É valido para uma subida e uma descida e não pode levar equipamento de esqui.

O Resort disponibiliza transfer (pago à parte) do centro de esqui para o de Las Pendientes também. Dependendo da quantidade de neve e da sua experiência com o esqui você até pode chegar ao Chapelco Ski de fato esquiando, pois tem uma pista que liga os dois centros de esqui – mas claro que você deve ter o passe de esqui dos dois centros para fazer isso.

Voltando ao nosso roteiro em San Martín de Los Andes no inverno, após realizarmos noss check-in em Las Pendientes, fomos alugar nossos esquis para o dia seguinte.

cabana coberta de neve
Nossa cabana na viagem!

Bem próximo à recepção do hotel há uma loja de aluguel de roupas, acessórios e equipamentos – lembrando que geralmente alugamos a terceira camada e o restante levamos o que precisamos em nossa mala de inverno inteligente!

À noite, jantamos no restaurante do próprio hotel. Lá você vai encontrar duas opções de restaurantes e uma mercearia onde pode comprar alguns itens.

Na suíte que nos hospedamos no El Refugio tinha uma cozinha equipada com geladeira, micro-ondas e forno que dava para fazer comida tranquilamente também. Em nossa diária já estava incluso o café da manhã e os passes diários para o centro de esqui.

crianças juntas para aula de esqui
Criançada reuniada para começar as aulas e a diversão.

Dia 02: Foi só tomar o café da manhã e curtir um dia inteiro de esqui em Las Pendientes. Contratamos aulas particulares para nós e para a Alice colocamos na escolinha de esqui com outras crianças e foi ótimo! Ela se divertiu o dia todo, pois além das aulas de esqui eles fazem brincadeiras e já está incluso lanche e almoço, além de os professores serem super atenciosos.

No fim, de tarde brincamos com a Alice de esqui bunda, boneco de neve e bolinha de neve. Como o hotel está no alto do cerro e do lado da pista, temos neve desde a porta do quarto, mesmo que você não esquie pode aproveitar com as crianças.

Almoçamos no restaurante do centro de esqui e à noite jantamos no restaurante do hotel. Aproveitamos que o quarto tem lareira e acendemos para tomar um bom vinho que havíamos levado.

menina e homem com esquis no meio da neve
Alice na Aula de Esqui já arrasando muito!

Dia 03: Repetimos o dia 02 para de fato praticar melhor e que se arriscar em novas áreas e pistas. Alice já estava mais tranquila nos esquis e inclusive desceu a pista principal – as crianças pegam tudo muito rápido!

Dia 04: Já era o dia de voltar para casa, e programamos de sair logo pela manhã para dar uma volta em San Martín de Los Andes e almoçar na cidade antes de voltar para casa.

Quando fomos pegar o nosso carro ele estava todo coberto de neve, e mesmo com ajuda da equipe do hotel, tivemos que tirar toda a neve, o que demorou um tempo e atrasou um pouquinho os planos – pode acontecer com você também se alugar carro!

Lago com barcos e montanha ao fundo
O Lago Lácar que também oferece passeios de barco!

Chegamos e fomos direto para a beira do Lago Lacar e caminhamos pelo centro. Fomos na Mamuschka, uma deliciosa marca que adoramos comprar chocolates e o melhor alfajor da cidade, que é feito com farinha de amêndoa.

Em seguida almoçamos no restaurante Las Barricas, com típica comida da Patagonia.

fachada de restaurante com barris
Visual do Las Barricas.

O Las Barricas, oferece opção de massas, carnes e pratos veganos, além de uma carta de vinhos muito boa. Aproveitamos nosso almoço, e de lá voltamos para casa.

Outros lugares e passeios para adaptar seu roteiro

Talvez você não queira 2 dias inteiros em um centro de esqui como nós fizemos em San Martín de Los Andes no inverno, e neste caso, você pode aproveitar sim de outras maneiras sua viagem. Aqui estão alguns passeios que são bacanas, e em seguida também mais algumas dicas de restaurantes:

Lugares e Atrações

C4 Parque de Nieve: Está localizado no Cerro Chapelco também, mas tem uma proposta um pouco diferente. O parque oferece uma variedade de atividades emocionantes para todas as idades e níveis de habilidade.

Uma das principais atrações do C4 Park de Nieve é o snowpark, que é uma área especialmente projetada para praticar snowboard e freestyle. O snowpark possui uma série de obstáculos, como rails, boxes e kickers, onde os entusiastas de snowboard podem aprimorar suas habilidades e realizar manobras radicais.

Além do snowpark, o parque também oferece outras opções de diversão na neve. Você pode desfrutar de atividades como tubing, que é a descida em boias infláveis em pistas especialmente preparadas. Essa é uma opção divertida e segura para todas as idades. Além disso, há também a possibilidade de realizar caminhadas com raquetes de neve, explorando as trilhas e paisagens nevadas ao redor do parque.

No local você pode alugar os equipamentos de snowboard e esqui disponíveis, caso você não possua o seu próprio equipamento. Além disso, há instrutores qualificados que podem fornecer aulas para iniciantes, ajudando-os a aprender as técnicas corretas e a se divertir com segurança.

Trineo con Huskies: Tenha a linda e emocionante experiência de percorrer os bosques de Lengas em trenos puxados por cães siberianos. Essa é uma atividade ideal para famílias.

Está localizado na plataforma 1.600 do Centro de Ski Chapelco e propõe passeios diários para adultos e crianças. Uma experiência muito divertida e com uma paisagem incrível.

letreiro de san martin de los andes com montanha e lago no fundo
O clássico letreiro da cidade.

Centro da Cidade: Para dar aquela voltinha, curtir o visual e o Lago Lácar – é possível fazer passeio de barco nele inclusive – fazer compras e tirar foto com letreiro: clássico de todas as viagens!

Ruta de Los Siete Lagos: Um percurso de 110km da ruta 40 que inicia em Villa la Angostura e finaliza em San Martín de Los Andes. Nesse percurso você vai ter vários mirantes para admirar paisagens deslumbrantes de sete lagos patagônicos.

A proposta aqui é fazer de San Martin para Villa La Angostura passando pelos Lagos Espejo, Correntoso, Escondido, Villarino, Falkner, Machónico y Lácar.

Esse passeio pode ser feito de forma privada ou em grupo, recomendo que contrate privado se possível ou mini grupo. Pois alguns passeios possuem muita gente e acaba prejudicando a experiência.

E claro que, estando em Villa La Angostura, vale muito aproveitar o centro com uma caminhada despretensiosa por essa linda vila, que está localizada a noroeste do lago Nahuel Huapi e conta com uma das paisagens de montanha mais lindas da Argentina. É uma das áreas protegidas da Patagonia, pois esta imersa no Parque Nacional Nahuel Huapi.

Restaurantes

Terrazas del Refugio: com a proposta de restaurante panorâmico em um refúgio de neve localizado em Las Pendientes, perto do Centro de Ski Chapelco. Dentro. Tem um cardápio variado e opção de comida de montanha.

Casa de Chá Arrayan: Pode ser parte de seu passeio no centro. Fundada em 1939 a pequena e charmosa casa de chá, localizada no alto do Cerro Coronel Díaz e tem uma das vista mais bonitas do lago Lácar e dos Andes.

La Vieja Aldea: É uma loja de chocolates tradicional da cidade de San Martín de Los Andes e eles oferecem chocolates artesanais de qualidade e estão transformando a loja em uma verdadeira experiência com chocolate.

Morphen Bistro: Com a proposta de oferecer uma gastronomia de influências, sentimentos e memória, o Morphen é um bistrô Patagônico Argentino que se inspira em produtos da estação para criar pratos que convidam os clientes a terem um momento tranquilo, único e memorável.

Domingo Restaurante: Mais aconchegante, o restaurante foi instalado em uma antiga casa familiar, que forma parte do patrimônio histórico da cidade. Com um cardápio variado, o restaurante possui uma proposta de cozinha italiana muito boa.

pista de esqui
Pra fechar, mais uma foto da aula da Alice na pista de esqui.

Agora é só organizar sua viagem para San Martín de Los Andes no inverno, e descobrir a magia deste lugar tão bacana. E novamente, se quiser suporte e uma viagem personalizada do seu jeitinho, conversa comigo, que vai ser incrível!

salão de restaurante com salames pendurados em prateleiras

Restaurantes Michelin em Buenos Aires para apreciar o melhor da gastronomia na cidade

Ter Restaurantes Michelin em Buenos Aires era há muito tempo uma necessidade, e que desde 2023 felizmente essa injustiça foi corrigida com a chegada do Guia gastronômico mais badalado do mundo, e com indicações e algumas estrelas que também foram dadas.

A capital argentina dispensa apresentações e como moradora do país viajante e travel designer especializada nele, posso até ser suspeita, mas é sim uma das cidades mais charmosas do continente.

salão de restaurante com salames pendurados em prateleiras
Um pedacinho do Salão do El Preferido.

Seja do centro ou até seus arredores, tem muita coisa bacana, e tudo isso junto com boa gastronomia que só a Argentina oferece.

Entre os Restaurantes Michelin em Buenos Aires, vou deixar aqui tanto os 3 restaurantes que receberam estrelas Michelin, quanto demais restaurantes que foram ainda assim indicados. Alguns deles pude conhecer e confesso que algumas fotos não estão em um padrão tão Michelin quanto os sabores, mas não deixa de ficar como referência para leitura deste post.

Restaurantes Michelin em Buenos Aires Estrelados

Os 3 restaurantes que ganharam a consideração do Guia Michelin na capital argentina, assim como seus detalhes e informações são:

tábuas de madeira e pedra com degustações
Degustações do Aramburu.

1. Aramburu: O único a receber 2 estrelas Michelin na cidade, apresenta sofisticada gastronomia com um Menu de 18 etapas muito variado e que inclui ingredientes regionais. Está localizado no bairro da Recoleta e é necessário reserva pelo site do estabelecimento. Como é de se esperar, não é o único reconhecimento que possui e já foi premiado várias vezes.

Um restaurante deste tipo, ainda que muito considerado, às vezes não atende os paladares mais seletivos. Por isso, vá se você realmente é fã de todo tipo de gastronomia e de provar muitos sabores. Eu inclusive desenhei uma viagem para uma cliente que foi com dois filhos no Aramburu (10 e 14 anos) e foi uma boa experiência pelos jovens já terem costume neste tipo de experiência. Porém, se a crinaça tiver paladar seletivo – ou mesmo você – talvez uma outra opção também muito boa seja mais sua cara!

2. Trescha: Um restaurante que pode não ser muito conhecido pela maioria, mas que também oferece uma experiência gastronômica intensa com um menu de 15 etapas, variado trimestralmente. Neste caso, assim como o Aramburu, não recomendo com crianças menores de 14 anos, já são restaurantes mais requintados e sem opções kids – e vale novamente o mesmo para os paladares seletivos.

Mas se você é daqueles que ama viajar na gastronomia, você pode ir fundo nesta fusão de sabores que rendeu 1 estrela Michelin para ele. Localizado em Villa Crespo, é também importante reservar pelo site.

Fachada de restaurante em rua histórica com muitas pessoas aguardando em fila.
O Don Julio: Sempre movimentado, ainda mais depois de ser estrelado.

3. Don Julio: Esse pode ser menos estrelado que o Aramburu, com 1 estrela assim como Trescha, mas definitivamente é o mais badalados Restaurantes Michelin de Buenos Aires.

Localizado em Palermo, o Don Julio já recebeu famosos – incluindo o craque Messi, e a loucura é tão grande para reservar que, para ter ideia, outra cliente solicitou em setembro para ir em fevereiro e mesmo assim a reserva não foi aceita. Se a vontade for realmente grande, é possível ir sem reserva, mas aguardar no mínimo duas horas na fila, e chegar antes do restaurante abrir para colocar o nome na lista de espera. Caso queira arriscar, as reservas são feitas neste link do site – vai que você tem mais sorte do que eu!

E porque tudo isso? Bem… o restaurante que está em uma edificação histórica muito bonita e modernizada serve a muito tradicional parrila argentina em um cardápio que pode não ser tão criativo, mas definitivamente tem cortes perfeitos de açougue próprio, assim como da produção própria dos demais ingredientes de acompanhamentos, vindas de fazendas e hortas gerenciadas pelo próprio Don Julio, o que também o entitula como estrela verde pelo guia – pensando são duas estrelas, não são?

E pra fechar, eles também já tiveram um sommelier premiado. Com tanto cuidado em todo o processo de suas receitas, não tinha como não ser um excelente restaurante!

Restaurantes Michelin em Buenos Aires com Indicação do Guia

O Guia Michelin, além das estrelas, também recomenda restaurantes que podem não chegar em todos os critérios conceituados com as estrelas, mas que são recomendados por sua qualidade.

Em Buenos Aires, são mais de 40 restaurantes recomendados pelo guia, porém, fiz uma seleção de 9 restaurantes tanto que eu, quanto meus clientes, gostamos e também recomendamos – e vale reservar se for de seu interesse. Eles são:

Elena: Está localizado em Retiro, dentro do hotel Four Seasons. Ambiente amplo e moderno, boa carta de vinhos, e opções de carnes, acompanhamentos e sobremesas. Oferecem desenhos para a distração das crianças, e boa pedida para quem já vai se hospedar no hotel.

Sobremesa tipo pudim com calda de chocolate
Sobremesa deliciosa do La Alacena.

La Alacena: Para fãs de gastronomia italiana, esta é uma ótima opção de tratoria em Palermo que tem bom custo benefício e bons elogios, em especial para a lasagna alla bolognese, mas tanto com opções tradicionais quanto com pratos de combinações diferentes e modernas!

Casa Cavia: Em um ambiente belíssimo de um casarão histórico em Palermo com fonte, jardim e aconchego, serve pratos a la carte, mas também café, doces e drinks, que são considerados um destaque por vários clientes.

Mishiguene: Também em Palermo – já percebeu que é lá que você pode ficar se quiser aproveitar bastante da boa gastronomia local – é uma excelente opção ao Don Julio, mas com menu contemporâneo e que também tem opção de degustação em etapas.

La Carniceria: É um local pequeno de Palermo, mas especializado em carnes, com cortes da melhor qualidade e bonitas apresentações. Um ambiente íntimo de boa pedida para casais.

Ñino Gordo: Bem diferente dos demais até aqui, este Restaurante Michelin em Buenos Aires é de gastronomia asiática, e ambiente também, com muitas cores fortes e símbolos que remetem ao continente. Costuma ter espera, e está em Palermo Soho.

Fachada do El Preferido

El Preferido de Palermo: Como já está no nome sua localização, é um prédio com mais de 100 anos e muita história, bem perto do Don Julio e tem destaque para sua milanesas, sendo a de chorizo uma das mais elogiadas. Há várias opções de pratos e sobremesas que costumam agradar os clientes.

Fogón Asado: Com a chance de ver pratos preparados em sua frente no fogo, é uma experiência bacana e que também tem menu de etapas. Não apenas carnes e pratos, mas atendimento, drinks e vinhos são muito elogiados. Entre Palermo e Villa Crespo.

Bis Bistró: Moderninho e de ambiente aconchegante, gostoso para petiscar e provar algo gostoso com uma boa conversa. Esse está na Recoleta.

Agora você já pode escolher seu restaurante Michelin em Buenos Aires – ou alguns deles. Se quiser mais detalhes destas indicações e uma viagem desenhada por uma especialista totalmente personalizada com seus interesses na capital da Argentina e em tantos outros destinos do país, conversa comigo! Tenho certeza que vamos fazer não apenas da gastronomia, mas de toda a viagem, memorável!

taça de vinho e tábua de frios em mesa de bidega

O que fazer perto de Buenos Aires em 5 ideias!

Buenos Aires é uma capital cheia de possibilidades para todas as épocas do ano você – o que você já deve saber até por conta própria. Porém, já pensou em conhecer o que têm perto de Buenos Aires?

É uma pedida bem legal para quem já esteve outras vezes na Argentina e quer descobrir novos lugares, tem a oportunidade de passar mais tempo na região ou se interesse pelos passeios propostos que podem ser até mais atrativos que outros lugares do centro da cidade.

Sendo, assim esta travel designer fez uma curadoria com 5 ideias que acredito serem boas pedidas para conhecer perto de Buenos Aires. A lista é a seguinte:

1. Bio Parque Temaikén;
2. Cidade de Tigre;
3. Aldeia de Campanopolis;
4. Colonia del Sacramento no Uruguai;
5. Casa Gamboa Vinicola.

letreiro com escultura de dinossauro ao lado
Passeio super recomendado com Crianças: Temaikén!

1. Temaikén: Este é um bio parque que já recomendei para quem vai à Buenos Aires com crianças, e fica nas proximidades da capital – cerca de 40 minutos do centro da cidade). Ele é bem grande e tenha em mente que será um passeio para o dia todo. É possível ir de várias formas, inclusive por conta própria.

Aberto para visitação de todas as idades, ainda que existam animais no local, o parque possui uma proposta de preservação e educação ambiental, e não de exibição dos mesmos. Aliás, as crianças podem se tornar defensores da natureza após executar todas as tarefas locais que são propostas do App do parque. Baixe o aplicativo e faça seu cadastro antes de chegar no Temaikén porque você não perde tempo e já inicia a busca das atividades – o que vale ouro nas viagens com crianças.

Este também é o único zoológico credenciado pela AZA – Association of Zoos & Aquariums – no país. Existe um circuito para você realizar pelo parque onde você vai poder aprender mais sobre diversas espécies de animais, e sobre o bioma que aquele animal vive através de QRs codes disponibilizados nas várias áreas do circuito.

Há também parquinho e lazer, assim como lanchonetes para refeições.

Site para mais informações: temaiken.org.ar/bioparque

banco em calçadão em frente a rio com árvores ao fundo
A beira do Rio Tigre. Crédito da Imagem: Canva.

2. Cidade de Tigre: esta cidade próxima a Buenos Aires (aproximadamente 50min de carro) é onde está localizado o Delta del Tigre, que conta com mais de 350 rios e riachos.

Seu formato se da por conta das diversas ilhas que se formaram e que hoje modelam o estilo de vida das pessoas que vivem nessa região, que é bem peculiar, principalmente pelo fato de os rios serem “as ruas” da cidade, e seus habitantes vão e vem de um lado ao outro, e existem até comércios que funcionam em barcos pelo rio, e você pode ver um pouco mais sobre seu funcionamento no site oficial de Tigre.

Nessa cidade podemos destacar as seguintes atividades:

Passeio de barco pelo delta, que é interessante para quem quer ter uma visão de como realmente funciona a vida local. Recomendo olhar a previsão do tempo e fazer o passeio em um dia de sol para aproveitar melhor.

No verão, Tigre se transforma em um Balneário de férias dos argentinos, e muitas pessoas alugam casas nas ilhas para aproveitar suas águas, então nesta época tudo é mais movimentado.

Parque de la Costa: é um dos maiores parques de diversão da América Latina, e tem atrações bem tradicionais. Está localizado nas proximidades de Buenos Aires (50min desde o centro da cidade). Não é imperdível, mas pode ser interessante se mesclar o passeio com outros locais de Tigre.

O Parque trabalha com dias e horários marcados e trabalha por turnos, turno manhã de 9h às 16h e tarde de 12h às 19h30min. Site: www.parquedelacosta.com.ar/pdc

fachada de edifício histórico com coreto, corredor e casa com torre.
Fachada do Museu Arte Tigre. Crédito: Divulgação.

Museo de Arte Tigre: um museu que foi instalado em um edificio histórico, onde antes era um centro recreativo que incluía um cassino (antigo Tigre Club). A fachada é belíssima e abriga tanto peças que contam a história regional quanto obras de pintura e outras artes. Mais informações: mat.gob.ar/museo

Paseo Victoria: é um pequeno percurso as margens do rio no qual você pode caminhar e apreciar um pouco da paisagem natural local.

Ao longo do percurso você irá encontrar alguns museus, assim como bares e restaurantes. Sugiro uma caminhada tranquila para conhecer um pouco mais da cidade antes de retornarem para Buenos Aires, quem sabe no final do dia.

Dica extra: no percurso você vai encontrar a Heladeria Via Toscana que é deliciosa.

Puerto de Frutos: é um local muito importante para essa cidade, pois foi nele que a população da região começou a realizar o comércio entre o que era produzido nas ilhas e o que eles precisavam para suas casas.

Hoje o local é um importante mercado de produtos artesanais e de decoração para casas. Muitos porteños vão até tigre para comprar móveis e artigos de decoração para suas casas.

Ele está localizado a beira do rio e será o ponto de partida para quem desejar realizar um tour caminhando.

torres de castelo medieval
Uma Vila Medieval na Argentina: Sim ela existe. Crédito da imagem: Canva.

Campanopolis: Já imaginou que perto de Buenos Aires existe a réplica de uma Aldeia Medieval? Pois Campanopolis é exatamente isso, e está localizada a uma hora de carro da capital.

O local é uma réplica de uma aldeia ou vila medieval criada por Don Antonio Campana, que era um sonho de seu criador e construtor, de muitos detalhes e desafios. Há até quem diga que suas construções lembram os cenários e edifícios da clássica saga de Harry Potter (fãs de magia, tem inclusive visita guiada), mas a história real você pode consultar no site oficial de Campanopolis.

Uma dica minha: Além da visita, aproveite para fazer um piquenique nos gramados de Campanopolis, com um bom vinho com um alfajor com um delicioso dulce de leche tradicional argentino que com certeza será uma experiência memorável.

Portão de Entrada de centro histórico
Porton de Colonia.

Colonia del Sacramento: Esta é a vizinha uruguaia super charmosa que é Patrimônio Mundial da Unesco, em um dos lugares mais mais conhecidos para visitar perto de Buenos Aires.

Os turistas fazem uma travessia de barco que dura cerca de 2h para cruzar o Rio del Plata, e este processo inclui imigração (outro país, segue o protocolo) e pode ter até Duty Free a bordo para compras.

É possível fazer bate e volta no mesmo dia, porém também é delicioso passar mais tempo nas bucólicas ruas da cidade, e combinar a viagem com outra vizinha, Carmelo. Nós já fizemos isso e tem um post completo sobre nossa viagem aqui no blog – Turismo em Colonia del Sacramento e Carmelo: O que você precisa saber.

mesa com taças de vinho e barril ao lado com parreirais ao fundo
Vinícola Gamboa. Crédito: Divulgação.

Casa Gamboa: Amantes do mundo dos vinhos que talvez não possam ir até Mendoza podem aproveitar para conhecer esta opção de vinícola perto de Buenos Aires, e que tem um ambiente super agradável.

Ela está a uma hora e meia da cidade e possui visitas com degustação e almoço. Importante: Lembro que tudo deve ser reservado com antecedência. Confira os portais oficias da Bodega para seu agendamento:

Instagram (@bodegagamboa)

Bodega Gamboa

Qual programa perto de Buenos Aires foi seu favorito? Só escolher e aproveitar, dá pra fazer uma viagem inteira nos arredores, não é? E conte comigo se desejar fazer a sua através dos meus serviços de Viagem Sob Medida na Argentina: prometo que não vai se arrepender!

menina de costas olhando rio

O que fazer na Argentina: Ideias de viagens das clássicas ao fora do óbvio!

Quando pensamos o que fazer na Argentina a maioria das pessoas pensa ou na capital Buenos Aires, ou nos atrativos de neve da Patagônia.

É claro que estas são ótimas opções, mas este post vai não apenas em locais clássicos, mas além do óbvio, e mostrar que a Argentina é muito mais para você descobrir lugares incríveis.

E como sou especialista na Argentina através do meu trabalho de consultoria e roteiros personalizados, tenho o prazer de colocar aqui alguns destinos que valem muito conhecer, e muitos links de posts que já detalhei mais de cada um, bora conferir?

pai e filha em frente a mural de museu
Alice e seu pai na programação cultural de Buenos Aires.

Buenos Aires

Não tinha nem como pensar em deixar de fora dessa seleção de o que fazer na Argentina a capital do país. Buenos Aires é uma cidade muito rica em aspectos diversos, e na realidade, são muitas viagens possíveis dentro da mesma cidade.

Isso significa que os passeios clássicos em bairros e pontos turísticos como o Caminito, Puerto Madero, Teatro Colón, Casa Rosada e Plaza de Mayo, Recoleta, Palermo e mais são sempre boas pedidas, mas por outro lado, é possível ter muitos roteiros diferenciados em gastronomia (com o melhor das carnes, alfajores, vinhos, sorvetes e mais), cultura e até mesmo bem focados para diversão com as crianças.

Por isso, mesmo quem já foi mais de uma vez não fará uma mesma viagem, tanto pelas oportunidades de viajar com propostas diferentes, mas das próprias épocas e também aproveitando as mudanças que sempre surgem na cidade: Buenos Aires é uma pedida fácil e direta pra chegar de muitas cidades do Brasil, e sempre rende viagens incríveis.

Confira mais dicas no blog deste destino nos seguintes posts:

> Carnaval em Buenos Aires;
> Ano Novo em Buenos Aires;
> Um dia em Buenos Aires: Parada de cruzeiros ou stopover/conexões na cidade;
> Parques em Buenos Aires para crianças: 14 playgrounds incríveis;
> Buenos Aires com crianças: dicas o que fazer para uma viagem em família;
> Buenos Aires e arredores: Roteiro com Carmelo e Colônia del Sacramento no Uruguai;

Puerto Iguazu

A fronteira com Foz do Iguaçu é obrigatória para quem está na região, mas… ainda há muitos turistas que acabam fazendo a passagem apenas para conhecer o lado argentino das Cataratas – que obviamente mais do que merece ser visto.

Porém, Puerto Iguazu também tem excelentes hotéis e resorts para curtir, ótimas opções para comer algumas delícias da gastronomia argentina, e fazer passeios bacanas como o Marco das 3 fronteiras argentina, e o parque ecológico La Aripuca. Vale dar uma chance extra para a cidade!

Foto divertida de família deitada com fundo de neve e montanhas
Um resumo de nossa alegria de viver Bariloche!

Bariloche

O destino de neve mais amado dos brasileiros é maravilhoso mesmo! É claro que Bariloche é um dos lugares mais legais para curtir a neve, se arriscar no esqui, e se divertir muito, mas vai além das atrações nevadas, sendo um destino para ser sim visitado o ano todo.

Bariloche tem excelentes restaurantes, e paisagens de tirar o fôlego com lagos incríveis entre montanhas às vezes nevadas, as vezes mais vivas entre cores, e com outros passeios super bacanas – dá até pra curtir uma praia nos lagos (ainda que as água sejam um pouco geladas mesmo no verão). Seja como for, Bariloche é um destino completo, e dá pra aproveitar demais o ano todo.

Confira mais dicas no blog deste destino nos seguintes posts:

> Bariloche no verão: Dicas e lugares para aproveitar;
> Natal em Bariloche: Dicas para o fim de ano na cidade;
> Restaurante em Bariloche: 10 opções para sua viagem;
> O que fazer em Bariloche em família no inverno;

Vista de lago entre vegetação com neve
Um cartão postal em todas as épocas do ano!

Villa la Angostura

Villa la Angostura é um destino próximo de Bariloche e que super vale uma dobradinha. Há baías, cerros, bonitas paisagens naturais e muitas coisas bacanas para conhecer também

É também é em Villa la Angostura que se inicia a Ruta de los Siete Lagos, uma das rotas mais icônicas e lindas de conhecer.

Confira mais dicas no blog deste destino no seguinte post:

> Villa la Angostura: Dicas e Atrações;

Salta

Apesar de ser uma região muito linda com montanhas de muitas cores, salares e com paisagens de mais que surpreendentes, e ainda curtir um pouquinho da Ruta 40 e opções de enoturismo, e ainda ter a oportunidade de deslumbrar um pouco de turismo astronômico. Salta é isso é muito mais.

Conhecer o Sitio Arqueológico Quilmes, Vulcões de El Peñon e montanhas incríveis são algumas experiências possíveis. O melhor é que há voos diretos em alguns períodos do ano de São Paulo, como até setembro, ou via Buenos Aires nos demais meses.

mesa cpm prato de carne e legumes e duas taças de vinho ao ar livre e montanhas ao fundo.
Vinhos e delícias na paisagem de Mendoza, é muito bom!

Mendoza

O destino perfeito de enoturismo é um dos lugares obrigatórios na lista dos fãs deste tipo de viagem de o que fazer na Argentina.

Mendoza é deliciosa em todos os sentidos: para degustar e conhecer muitos vinhos e suas histórias, para relaxar e aproveitar para curtir as paisagens com calma e tranquilidade. E pra quem ainda quiser mesclar com um pouco de natureza, está aos pés do gigante Aconcágua.

As vinícolas são várias e cada uma no seu estilo, e você pode escolher o seu perfil (ou posso te ajudar também), e inclusive vale viajar com toda a família, fizemos ótimos programas com a Alice também.

Confira mais dicas no blog deste destino nos seguintes posts:

> Vindima em Mendoza;
> O que fazer em Mendoza com crianças;

El Calafate

Como não considerar um dos cartões postais mais incríveis da Argentina? O Glaciar Perito Moreno é um local incrível e está em El Calafate, com opções bem bacanas de trekkings, e também há muitos outros passeios de locais históricos e icônicos.

El Calafate combina super com uma vizinha chilena, Torres del Paine, um parque nacional repleto de lagunas, trilhas, mirantes e circuitos com belezas únicas, uma ótima viagem com lugares que parecem surreais.

Confira mais dicas no blog deste destino no seguinte post:

> El Calafate e Torres del Paine: Guia prático para Montar a Sua Viagem;

Ushuaia

O fim do mundo só podia ser demais, não é? E ele não apenas um ponto importante e interessante no mapa: ele é belíssimo e com paisagens muito bacanas.

Ir ao Ushuaia é navegar pelo Canal Beagle e conhecer as belezas locais, ver inúmeros pinguins e outros animais marinhos, ter vivências em áreas de neve e natureza, e ainda dar uma volta no trem do fim do mundo, um dos mais famosos existentes atualmente.

Ushuaia é sempre uma pedida interessante de se combinar com mais locais da Patagônia Argentina, e vale sim fazer junto com El Calafate ou Bariloche.

lago de tonalidades turquesas com montanha ao fundo
O lindo lago de Villa Traful.

Villa Traful

Quer descobrir o que fazer na Argentina por uma perspectiva diferente? Pois inclua a simpática Villa Traful em sua wish list.

Este é um vilarejo bem pequeno em tamanho, mas imenso em beleza. As águas cristalinas e azuis claras são um show a parte, e é uma delícia se hospedar na beira do lago, curtir vistas e mirantes, e ainda ter a oportunidade de conhecer um bosque submergido, algo único no mundo!

Confira mais dicas no blog deste destino no seguinte post:

> Villa Traful: Destino icônico para conhecer na Argentina;

El Chaltén

O último destino das minhas indicações de momento é El Chaltén. Mais um destino lindo de montanhas nevadas, geleiras e trekkings de tirar o fôlego, que pode ser combinado com outros locais da Patagônia.

El Chaltén tem a icônica montanha Fitz Roy, assim como a belíssima geleira Vespgnani, e claro, uma série de lagos, paisagens e locais incríveis para descobrir também!

Quais destinos da Argentina te chamaram mais a atenção? E escolhendo aqueles que serão parte de sua próxima viagem, não deixe de ler também dicas importantes para viajar ao país, como meu post sobre os tipos de câmbio (oficial, blue e tarjeta), e não esquece de forma alguma de providenciar o Seguro Viagem antes de embarcar, inclusive atenção para escolher um seguro correto no caso da prática de esportes de neve.

Partiu Argentina? E acompanhe mais das nossas aventuras no país nas redes do Destinos de Alice e do Mari Queiroz Viagem que tem muita dica boa sempre por lá!

multidão em festa de rua do centro de buenos aires

Carnaval em Buenos Aires: Vale passar o feriado na cidade?

Sabia que tem sim Carnaval em Buenos Aires? É claro que evento lá é diferente do que nossa versão brasileira, mas na verdade o Carnaval não tem força apenas no Brasil, mas em várias cidades argentinas e do mundo.

Vários países realizam festas e comemorações (como o famoso Carnaval de Veneza na Itália), e na América do Sul o Uruguai também é um país que faz muitas celebrações.

A Argentina celebra de maneira bem festiva em algumas cidades do interior, como Corrientes e Gualeguaychú, mas, o Carnaval em Buenos Aires também é comemorado com festividades que, apesar de não ser a maior festa do país, ao longo dos últimos anos a celebração ganhou mais força na capital, com muitas cores, fantasias, bandeirinhas (uma decoração bem tradicional), murgas – estilo musical local – e muito mais.

Plaza de Mayo do centro de Buenos Aires
Centro e a Plaza de Mayo no Carnaval de Buenos Aires!

E seja nas festas, ou não, ainda assim é um feriado na época do verão possível de ser bem aproveitado, inclusive por vários cruzeiros fazerem parada nesta data na cidade, e por isso também vale a viagem mesmo se você é do time que prefere sossego, porque os principais locais turísticos seguem funcionando, mas alguns com horários especiais – afinal também é feriado na cidade.

Como surgiu e se estabeleceu o Carnaval em Buenos Aires?

O Carnaval em Buenos Aires – ou Carnaval Porteño – já acontece há centenas de anos, a partir da relação do catolicismo com a festa, já que o significado da palavra carnaval vem de palavras “carnis-levale”, do latim, que significa retirar a carne, marcando o início da quaresma, um período importante de abstenção do alimento da Igreja Católica, seguida a partir dos imigrantes que vieram ao país.

As festividades então cresceram ao longo de muitas décadas, mas isso não impediu que, devido aos exageros, costumes e o “tudo pode” no carnaval, que alguns governantes impuseram restrições, como o administrador colonial Virrey Vertiz que entre 1770 e 1784 castigava com chibatadas e prisão aqueles que usavam tambores de origens africanas; e Juan Manuel de Rosas, governador da província de Buenos Aires no período entre 1829 e 1852, que proibiu as festas de carnaval. Para quem se interessar, há um pouco mais da história carnavalesca local no Portal de Turismo de Buenos Aires

Por um bom tempo, após os fatos históricos, o Carnaval em Buenos Aires foi pouco celebrado, mas os tempos mais recentes retomaram a tradição, e assim a celebração voltou a ter mais força na cidade com tradições que são similiares as brasileiras, como os corsos – desfiles de carnaval com carros alegóricos; os gêneros musicais com percursão murga e candombe; e os comparsas, que são artistas do carnaval porteño, entre bailarinos, músicos e personagens que tocam e desfilam pelas ruas e bailes.

Onde aproveitar o Carnaval em Buenos Aires?

Se considerar o evento em si, o principal do Carnaval em Buenos Aires geralmente acontece no Centro, na Av. de Mayo, entre as ruas Bolívar e Carlos Pellegrini, com um palco montado em frente a Plaza de Mayo, que do outro lado está a Casa Rosada.

A rua fica bloqueada para carros, e os pedestres e visitantes em geral verão uma rua enfeitada com bandeirinhas, e estrutura com palco para diversas apresentações e desfiles que acontecem ao longo de vários dias, inclusive com programação para famílias.

multidão em festa de rua do centro de buenos aires
O Centro de Buenos Aires é palco para a festa do Carnaval!

Ainda que exista bastante animação com shows, DJ, barraquinhas de comidas (2023 até tinha água gratuita em copinhos) e momentos de chuva de espuma, a tradição também é o forte com desfile de fantasias, e as tradicionais murgas, que não são bloquinhos, mas um tipo de grupo que representa mais o que se faz na Europa, com instrumentos musicais mais antigos e com um pouco mais de tranquilidade.

As murgas passam por mais lugares além do centro, e podem ser apreciadas em mais alguns bairros e localidades. San Telmo e Puerto Madero por exemplo são locais turísticos que também costumam ter murgas.

Definitivamente é um carnaval diferente, um pouco mais sossegado, mas não menos interessante, e descobrir mais desta cultura é boa pedida com certeza no feriado! Além de praticamente toda a programação ser gratuita com os diversos eventos nos bairros e ruas.

O que fazer além das Festas?

É claro que há muito o que fazer em Buenos Aires além dos festejos. Mesmo no dia oficial do feriado, ainda que comércios e alguns locais estejam fechados, restaurantes e os principais pontos turísticos seguem abertos, além de praças e parquinhos para curtir um piquenique nas diversas áreas verdes e gostosas da cidade.

Por isso, não deixe de viajar no Carnaval para Buenos Aires se você tem vontade para curtir atrações clássicas – como um Show de Tango, um passeio no Caminito, visitar museus – ou para algo bem com a sua cara, seja um roteiro gastronômico completíssimo, cultural ou kids friendly, todas as possibilidades são reais nesta época, e eu posso ajudar com meus serviços de Viagens Sob Medida, com a Argentina como minha especialidade.

Partiu aproveitar o Carnaval em Buenos Aires? E não deixe de acompanhar mais dicas da Argentina e região nas redes do Destinos de Alice e do Mari Queiroz Viagem que você vai gostar!

duas taças com velas comemorativas de ano novo

Ano Novo em Buenos Aires: Dicas e lugares para celebrar!

Celebrar o ano novo em Buenos Aires é diferente do Brasil, mas ainda pode ser uma opção diferente de celebrar com as opções deste post!

Vale a pena passar o Ano Novo em Buenos Aires?

Assim como o Natal em Bariloche não é tão grande quanto um Natal Luz de Gramado que é tão celebrado no Sul brasileiro (mesmo tendo o apelo de ser um destino de frio e neve).

O Ano Novo em Buenos Aires não é tão festivo como os grandes eventos que existem no Brasil, se pensarmos nas enormes queimas de fogos como temos no Rio de Janeiro em Copabana, ou em outros destinos principalmente do litoral brasileiro.

duas taças com velas comemorativas de ano novo
Em Buenos Aires dá pra celebrar de forma tranquila, ou escolher sua festa! Crédito: Canva

Ainda assim possui algumas celebrações interessantes principalmente para quem gosta de festas privadas, e também pode ser um destino bom para quem quer um pouco mais de sossego comparado a praias lotadas, como quem quer curtir Buenos Aires com crianças ou apenas prefere um tempo mais tranquilo para curtir o dia passeando, e a noite passar a virada com uma tábua de frios e um vinho em um hotel menos central e mais distante dos eventos.

Neste caso, é planejar a viagem (sem esquecer detalhes como entender o Câmbio, ou contratar seu Seguro Viagem, entre outros); e não esquece que estou aqui te ajudar em detalhes e criar memórias inesquecíveis na minha especialidade: Roteiros personalizados na Argentina!

Onde celebrar o Ano Novo em Buenos Aires?

Para quem deseja curtir o lado festivo da data, no Ano Novo em Buenos Aires existem sim queimas de fogos, mas em uma proporção menor.

A principal queima de fogos acontece em Puerto Madero. Geralmente, os turistas vão para a região de Puerto Madero e passam a virada lá jantando em um dos vários restaurantes da região, e já acham seu lugar em uma das docas para assistir e celebrar a virada. É bacana, já que normalmente é uma região que fica linda a noite!

Puerto Madero possui vários restaurantes de estilos de diversos, além das tradicionais parrilas argentinas, e vale considerar uma opção de seu gosto e reservar para a virada.

Além disso, nesta mesma região de Puerto Madero, as pessoas podem optar por festas fechadas de alguns estabelecimentos bem conhecidos da cidade. como hotéis, restaurantes e bares. Alguns rooftops e bares (também chamados de “boliches”) que fazem festas não permitem crianças, mas aqui considerei alternativas que não fazem esta restrição.

As festas são completíssimas tanto na gastronomia quanto no entretenimento e os valores costumam ser altos, mas pode ser de seu interesse. Sendo assim, algumas das principais opções são:

Puerto Madeiro a noite com suas luzes, e beleza! Crédito: Canva

Madero Tango – Talvez a opção mais interessante que mistura um pouco de Argentina e Brasil, já que é uma noite já está com a divulgação da Fiesta de Blanco (ou seja, vale usar o tradicional branco que tanto se usa no Brasil) com shows de tango e jantar.

A festa inclui jantar completo com entrada, prato principal e sobremesa – inclusive com menu kids – além de champanhe a vontade, bebidas com e sem álcool, orquestra e show com DJ’s e dançarinos ao longo de toda a noite, cassino, café da manhã, traslados de hotéis, e tudo com a vista de Puerto Madero e show de fogos. Neste link você conferir mais informações.

Hotel Faena: O tradicional Hotel contará com grande celebração e apresentação do Rojo Tango (com músicos, cantores e bailarinos) iniciando às 20h até as 3h00 da manhã, também com jantar completo e transporte de Palermo e da Recoleta / San Telmo.

Vale acompanhar e conhecer nas redes sociais para conferir as atualizações – Instagram Faena Hotel.

Sheraton Buenos Aires: Uma excelente opção de estadia para quem está com crianças, já que o hotel possui espaços, suporte e monitoria para quem viaja com as crianças, e no Ano Novo em Buenos Aires fica mais fácil de aproveitar as celebrações.

O hotel costuma realizar jantar em seu restaurante estilo italiano com show ao vivo, além de estar bem perto da visão da queima em Puerto Madero. Confira mais informações: Festive Season in Buenos Aires, Argentina | Sheraton

Além dos restaurantes e hotéis de luxo em Puerto Madero, uma opção interessante, e até econômica, é show de pirotecnia e fogos que costuma acontecer no Planetário. Ele está próximo do Jardín Japonês e do bairro de Palermo, e vale se informar e considerar!

O que fazer além da virada?

O Ano Novo em Buenos Aires pode ser apenas de passagem (seja pra voltar pra casa ou pra se encaminhar para outro destino na Argentina), ou uma viagem completa ao destino e seus diversos espaços culturais, parques e gastronomia.

No primeiro caso, mesmo que seja apenas por pouco tempo, você pode aproveitar bem 1 dia em Buenos Aires, ou usar a capital argentina como parada para outros destinos, como uma dobradinha com Colônia del Sacramento e Carmelo, Uruguai; ou de uma grande destino no país, como El Calafate e Torres del Paine.

Seja qual for sua ideia, posso te ajudar com sua Viagem Sob Medida. Converse comigo, e bora conhecer a Argentina de uma forma única e inesquecível!

vista de geleira com árvores a frente e montanha ao fundo

El Calafate e Torres del Paine: Guia Prático para montar sua viagem

Viajar para El Calafate e Torres del Paine, na Patagônia Argentina e na Chilena respectivamente, é ainda uma opção não tão pensada por muitos viajantes, mas que é uma excelente combinação para conhecer alguns espetáculos da natureza da região.

É claro que é possível combinar El Calafate com outros destinos icônicos e bem procurados na Argentina por estarem no mesmo país, como Bariloche, Ushuaia (super comum) e mesmo com uma passagem ainda que rápida com conexão em Buenos Aires.

Porém, o fato é que Torres del Paine, mesmo estando no Chile, é a opção bem mais próxima de El Calafate, em uma viagem de carro de menos de 5 horas de um ao outro, ou mesmo de ônibus é possível fazer.

lago azul com montanhas nevadas ao fundo
O visual de Torres del Paine: lindo! Crédito: Canva.

Pra dar uma noção, os trajetos de carro de Ushuaia ou Bariloche, saindo El Calafate, dão mais de 14h de viagem de carro. Naturalmente quase todos os turistas então o fazem de avião, em voos de 1h30 em média. Por isso, fazer o trajeto El Calafate e Torres del Paine te dará a oportunidade de fazer uma viagem icônica pelas estradas argentinas, e ainda conhecer mais um lugar surpreendente no Chile.

E o mais legal é que esta viagem de El Calafate e Torres del Paine é sim para qualquer idade! Montei um roteiro personalizado para uma família que tinha o sonho de conhecer a região, e o grupo deles tinham pessoas de 3 até 70 anos, e mesmo com essa grande diferença deu certo, claro, contando vários aspectos do perfil dos viajantes que sempre analiso!

Neste post a ideia então é falar sobre a viagem para estes dois destinos, porém não vou incluir El Chaltén, mais um destino da Patagônia que também é possível combinar a partir de El Calafate, mas que ficará para outra viagem!

El Calafate e Torres del Paine: Dicas para começar a Planejar

> É importante escolher a época mais adequada para conhecer os destinos, já que há determinados meses que algumas atividades não são realizadas, em especial aquelas que dependem de condições climáticas favoráveis. O verão é a melhor época, com dias mais longos e temperaturas mais amenas.

> Escolha ficar pelo menos 6 dias para conhecer os dois destinos, e não faça bate volta de Torres del Paine, mas pelo menos faça 2 pernoites para conhecer boa parte do Parque de Torres del Paine, que é bem grande, e as melhores atrações de El Calafate.

> A forma mais prática de fazer esta viagem é chegar via Argentina por El Calafate, e seguir via terrestre indo e vindo ao parque de Torres del Paine (com base na cidade de Puerto Natales). Quem vem do Brasil não consegue voos diretos, sendo a alternativa mais prática e comum chegar via Buenos Aires, e depois seguir em voo até El Calafate.

Existem três cias aéreas que fazem o trajeto de Buenos Aires para El Calafate: Aerolineas Argentina, Flybondi e JetSmart.

https://www.aerolineas.com.ar/

https://flybondi.com/ar

https://jetsmart.com/ar/es/

> Observe que é um destino bem ao Sul dos dois países, e como é de se esperar, mais gelados, e as malas continuam com tamanhos reduzidos. Por isso, uma mala de inverno inteligente é o ideal para uma viagem como esta, mesmo em meses mais amenos. Não deixe de verificar a previsão e temperaturas antes de ir, mas já adianto que no mínimo um friozinho vai fazer, ou muito mais!

Para realizar atividades na natureza, como trekking na geleira, é possível fazer locação de roupas e equipamentos na cidade.

> A documentação para imigração nos dois destinos são as mesmas por se tratarem de países do Mercosul, onde você pode usar passaporte válido ou RG com menos de 10 anos de emissão na versão tradicional (a versão militar por exemplo não é aceita). Visto para turismo não é requerido se ficar por menos de 90 dias no país.

E quem for dirigir, o motorista não pode esquecer a CNH, que deve ser apresentada junto com o passaporte no momento da locação do carro. Entendo que a locação de carro é boa opção para a viagem toda, mas informe e negocie a questão de seguro para cruzar outro país, existe um custo adicional.

Para ir e vir de Torres del Paine ainda tem opção de ônibus também até Puerto Natales. Independente da opção, não esquece dos documentos, já que tem imigração na fronteira Argentina-Chile.

Vale saber que não existe transporte público nas localidades (com exceção do Glaciarium em El calafate, que há um ônibus da prefeitura) e nem transporte tradicional por aplicativo. A alternativa são os Remis na Argentina, que são como táxis, mas funcionam por chamada e possui o preço tabelado. Geralmente quando você pede para um hotel ou restaurante solicitar um carro para você é um Remis que eles vão chamar.

uma parte de glaciar com montanhas ao fundo
Um cantinho da paisagem linda de El Calafate. Crédito: Canva.

Também é válido ter vouchers de passeios e serviços na mão, inclusive impressos, e dinheiro. Aliás, no caso de El Calafate, você tem algumas vantagens na questão do câmbio, e vale a pena ler o post sobre as diferenças de câmbio e como fazer o mais vantajoso para a sua viagem.

Importante ressaltar que El Calafate é uma cidade é pequena para fazer câmbio, e pode ter falta de dinheiro em espécie para realizar as trocas em alguns dias. Por isso, se descer em Buenos Aires, vale fazer câmbio na capital antes de seguir viagem.

> O chip internacional ou acesso liberado a internet também são importantes, deixe isso já organizado!

> Ainda que as cidade não sejam grandes, elas são turísticas e possuem boa estrutura hoteleira e de serviços, em especial El Calafate. Aproveite para curtir um estadia aconchegante e provar os sabores da Patagônia, incluindo as famosas parrilas e empanadas argentinas e chilenas.

Onde ficar em El Calafate

O centro é a região mais prática para se hospedar e seguir para os passeios que ficam nos arredores – em especial o Glaciar Perito Moreno, que está a cerca de 1h30 do centro.

Por ser uma cidade pequena, outras áreas são para quem deseja curtir a estadia em si, e minhas recomendações são todas na região central. Algumas opções são:

Esplendor El Calafate: Hotel da Rede Whydam com linda vista e alto padrão. https://esplendorelcalafate.com/

Lagos del Calafate: Opção moderna e confortável também de padrão superior. https://www.lagosdelcalafate.com//index.php

Hotel Del Glaciar: A opção de melhor custo benefício, conta com bar e restaurante também. https://www.glaciar.com/

Mirador del Lago Hotel: Aconchegante e com bom restaurante e vista, também de alto nível. http://www.miradordellago.com.ar/

Blancas Patagonia: Estadia de experiência com cabanas boutique até 7 pessoas e campo de lavandas. https://blancapatagonia.com/Inicio.html

Onde ficar em Torres del Paine

A melhor opção considerando uma cidade é ficar em Puerto Natales, e seguir para os passeios no Imenso Parque de Torres del Paine. Há vários circuitos onde é possível conhecer as diversas montanhas, lagunas, cachoeiras e demais atrações naturais, e a opção abaixo tem esse perfil:

Hotel del Paine: Hotel bem estruturado com chalés e linda vista da cordilheira. https://www.hoteldelpaine.com/

Mas, também é possível se hospedar dentro Parque de Torres del Paine. São opções mais sofisticadas e completas, e acabam sendo mais práticas para quem deseja explorar mais de perto a natureza, mas… é claro que também são mais caras e demandam um investimento maior, mas definitivamente são excelentes. As duas opções a seguir são neste perfil:

Lago Grey Experience Hotel: A mesma empresa que também oferece uma navegação de barco pelo Lago Grey, assim como pacotes com excursões e experiências em regime all inclusive. https://www.lagogrey.com/en/home/

Tierra Patagônia: Mais uma opção que na verdade dá pra chamar de full inclusive por oferecer todas as atividades, excursões, estrutura e refeições pelo mesmo empreendimento. A rede Tierra é especialista em destinos de aventura e de grandes excursões com conforto e bastante comodidade. https://tierrapatagonia.com/

O que fazer em El Calafate e Torres del Paine

Curtir as paisagens incríveis entre geleiras, lagos e montanhas são os passeios obrigatórios. Mas também tem outras opções interessantes de experências de aventura, gastronomia e inclusive enoturismo. Por isso aqui estão os passeios possíveis que considero mais bacanas:

vista de geleira com árvores a frente e montanha ao fundo
A paisagem de geleira sempre é de tirar o fòlego! Crédito: Canva

Em El Calafate

Glaciarium: É um grande centro de aprendizagem e museu que explica sobre as formações geológicas da Patagônia, incluindo detalhes do Glaciar Perito Moreno. É bem interessante e tem café, museu e loja. https://glaciarium.com/es/

Letreiro de El Calafate e Atividades no Glaciar Perito Moreno: O clássico e imperdível passeio no Glaciar para ver toda sua majestada, e garantir seu registro local no letreiro. Nem precisava mencionar que é obrigatório ao menos para visitar as passarelas e contemplar a majestosa paisagem.

Na região do glaciar, ainda há atividades extras muito bacanas, incluindo o passeio de barco Safari Nautico; e o Mini Trekking pela geleira com vistas para o glaciar, para ter uma vivência mais próxima e intensa na imensidão de gelo. Ainda tem destaque para a experiência gourmet com a navegação e acesso às passarelas oferecida pela empresa Patagonia Chic (para realizar a experiencia gourmet com menu 4 passos precisa comprar o acesso a Salón Premium).

Calafate Night: Uma experiência para os fãs de turismo astronômico e a possibilidade de observar as estrelas e elementos da paisagem a noite.

Nativo Experience: Uma opção bem bacana menos tradicional de conhecer mais da geologia da região além dos glaciares, e com a oportunidade de realizar uma refeição dentro de uma caverna.

Calafate Wine Tour: Um delicioso tour a pé com um mix de história e desgustação de vinhos e espumantes, bem interessante.

Museo del Juguete: Uma exposição permanente com uma estrutura de 1600m2 de emoções, incluindo uma loja de souvenirs. Os brinquedos expostos, tanto argentinos como estrangeiros, são reconhecidos e cobiçados por colecionadores de todo o mundo e, na maioria das vezes, estão listados em catálogos internacionais.

Plaza de los Niños Ausentes: possui um parquinho ondem podem brincar um pouco e apreciar a bela vista do Lago Argentino. Uma opção para distrair um pouco quem vai com crianças.

lago com montanha nevada ao fundo
Um dos vários e lindíssimos lagos de Torres del Paine. Crédito: Canva.

Em Torres del Paine (base em Puerto Natales)

A ideia deste post é trazer as opções mais leves, já que o parque é enorme e possui diversos circuitos, sendo o Circuito W o mais completo para cerca de 5 dias, e demanda mais tempo e disposição, com alguns trajetos mais difíceis para alguns atrativos.

Mas considerando uma viagem de atrações mais leves, as sugestões são:

Navegação Lago Grey: Um percurso de 3h em um catamarã pelo mágico Lago Grey até a parede frontal do Glaiar Grey, que é considerada a terceira maior massa de gelo do mundo.

Tour ou rota de carro: Ótima opção para conhecer lindas paisagens com conforto. Você pode contratar este tour com empresas especializadas, ou realizá-lo por conta de carro. Algumas das atrações que você consegue conhecer são: Laguna de los Cisnes, Laguna Amarga, Mirante do Lago Nordenskjold, Salto Grande e Lago Toro.

E a Caminhada até a Base das Torres? Apesar de ser um lugar clássico e símbolo local, é um trekking difícil, com pedras e longas caminhadas e vai demorar no mínimo 8h para ir e vir, mas quem não tem condicionamento pode ir para 10h ou mais. Em um roteiro mais familiar, não recomendo.

E aí, já deu vontade de planejar uma viagem em família para El Calafate e Torres del Paine? E conte comigo para fazer uma Viagem Sob Medida para você e sua famíllia, com muito mais detalhes, opções gastronômicas e um modelo especial para você. Bora viajar?